AEE: Atendimento Educacional Especializado

AEE: Atendimento Educacional Especializado

O Atendimento Educacional Especializado (AEE) tem como objetivo o desenvolvimento escolar dos alunos do LMC. A partir dos seis anos os alunos matriculados no LMC são incluídos no AEE. A aula é ministrada pela pedagoga Cíntia Gonçalves e oferece reforço e acompanhamento nas atividades escolares dos alunos regularmente matriculados na rede regular de ensino.

Ao ingressar na atividade a professora trabalha a lateralidade, o esquema corporal, o reconhecimento de objetos e, através do Brailex e do Braillito, materiais pedagógicos específicos, inicia o processo de alfabetização em braille.

No AEE as turmas são formadas por até seis alunos. “Para participar, eles devem estar matriculados no ensino regular. Atendo crianças e adolescentes”, diz Cíntia.

As crianças frequentam as aulas no contraturno escolar de uma a quatro vezes por semana, de acordo com sua necessidade. Cada aluno tem um projeto. “Alguns trazem dúvidas do colégio, outros gostam de escrever. Há aqueles que têm algum comprometimento intelectual e apresentam mais dificuldades. Cada aluno tem um desenvolvimento e isso é respeitado”, explica.

Segundo a professora, a disciplina mais trabalhada em sala de aula é Língua Portuguesa. “Faço muitos exercícios de treino ortográfico, porque considero a leitura e a escrita extremamente importantes”, conta.

O incentivo à leitura proporcionado por Cíntia surte efeito. Yanca, aluna que frequenta as aulas há seis anos, confessa sua preferência pela disciplina. “Foi no AEE que eu comecei a gostar de ler e escrever. A professora sempre dava livros para eu copiar. Eu acabei gostando e hoje minha matéria preferida é Português”, revela a garota.

Yanca está no 5º ano e está escrevendo um livro. Segundo ela, o estímulo veio das aulas de AEE. “A aula me incentivou a escrever o livro. O AEE é importante. Sempre que eu tenho lição de casa eu faço aqui. Quando eu tenho dúvidas a professora me ajuda e me deixa bem informada”, afirma Yanca.

Essa evolução é muito gratificante para a professora. “Tem crianças que estão comigo há anos e é legal ver que você alfabetizou e a criança está evoluindo”, conta Cíntia.

Para a coordenadora Ana Maria Pupo, o AEE completa o aprendizado da escola.  “Para os alunos é fundamental. Eles estão incluídos no ensino regular e mesmo que a escola atenda às suas necessidades eles precisam de um pouco mais, porque apresentam outras dificuldades”, explica Ana Maria.

O AEE estabelece um intercâmbio de informações sobre o aluno, tanto com a família quanto com a escola em que a criança está matriculada.“Realizamos encontros semestrais nos quais convidamos as escolas. A cada reunião é proposto o tema que será trabalhado no próximo encontro. Além disso, há algumas escolas que pedem relatórios. Sempre recebemos coordenadores e professores e buscamos atendê-los. Essa integração é fundamental”, esclarece a coordenadora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *