A Copa do Mundo do Brasil é para todos

A Copa do Mundo do Brasil é para todos

Estádios serão acessíveis para deficientes visuais

O ano de 2014 será marcado como o ano da Copa do Brasil. O evento, que é um dos maiores do mundo, será realizado no país pela segunda vez depois de cinco décadas. A torcida brasileira terá oportunidade de acompanhar os jogos, que acontecem entre os dias 12 de junho e 13 de julho, em doze cidades de todas as regiões do Brasil. Os estádios da competição garantem acessibilidade para deficientes.

Durante todo o período de preparação, reforma e construção de estádios a questão da acessibilidade foi discutida. O Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa Portadora de Deficiência (Conade) promoveu a Campanha de Acessibilidade na Copa de 2014 com o objetivo de adaptar as cidades-sede ao conceito de acessibilidade universal não só nos estádios mas também em seus entornos, garantindo fácil acesso e segurança na evacuação dos locais dos jogos.

Impulsionados pelos jogos mundiais de 2014, cidades como Porto Alegre, Curitiba e Fortaleza criaram projetos e realizaram obras para melhorar a mobilidade urbana, contemplando questões referentes à acessibilidade previstas em lei, como a inclusão do piso para orientação de pessoas cegas.

O objetivo do piso tátil é facilitar o acesso aos deficientes visuais. Na Arena Fonte Nova, em Salvador, por exemplo, o piso percorre todas as áreas do nível cinco, onde as pessoas com deficiência terão assentos reservados perto das cabines de imprensa, para que acompanhem a narração das partidas em tempo real. Além disso, os deficientes visuais contarão com o acompanhamento de orientadores para auxiliar na circulação pela arena.

A Fifa também vai oferecer narração audiodescritiva para cegos e pessoas com visão reduzida. O serviço será disponibilizado em português em Belo Horizonte (Estádio Mineirão), Brasília (Estádio Nacional de Brasília), Rio de Janeiro (Estádio do Maracanã) e São Paulo (Arena de São Paulo). As narrações via frequência de rádio serão realizadas em headsets pessoais, como os usados em eventos com transmissão simultânea. Serão dois narradores por jogo, selecionados entre 16 voluntários que serão treinados.

A implementação é um trabalho em conjunto com duas ONGS, o Centro Europeu de Acesso ao Futebol (Cafe) e a Urece Esportes e Cultura, uma organização brasileira que trabalha com pessoas com diversos tipos de deficiência visual. Essa será a primeira vez em que o serviço é oferecido no futebol brasileiro. Os equipamentos serão doados, após a competição, às entidades locais que estiverem dispostas a fazer parte do legado do projeto.

Sobre a venda dos ingressos, os deficientes terão direito, conforme decreto presidencial de agosto de 2012, a pelo menos 2% dos ingressos da Copa do Mundo de 2014, sendo 1% dos bilhetes para as pessoas com deficiência e mais 1% para que cada um possa levar um acompanhante. Esse segundo ingresso deve ser solicitado pelo interessado no momento da compra. Essa regra já esteve em vigor na Copa das Confederações. A Fifa só poderá vender estes bilhetes a outras pessoas se comprovar a falta de demanda.

Os clientes que solicitarem esses ingressos devem, obrigatoriamente, comprovar seu direito no momento da retirada dos mesmos e na entrada do estádio através de atestados médicos que contenham o CRM do médico e um código CID. É válida, também, a apresentação de cartões de estacionamento e de transporte para pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida, além da Carta de Aposentadoria por Invalidez do Ministério da Previdência Social, caso contrário a compra será cancelada, em conformidade com o Regulamento de Vendas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *