Menino dá novo fôlego à campanha para conseguir cães-guia
Menino dá novo fôlego à campanha para conseguir cães-guia

Menino dá novo fôlego à campanha para conseguir cães-guia

No Brasil, apenas 100 pessoas com deficiência visual têm cão-guia.
Outras 3 mil estão na fila de espera para ter o cachorro, que tem alto custo.

Seis milhões e meio de brasileiros têm deficiência visual. Mais de 500 mil não enxergam nada. Os obstáculos estão por toda a parte. Mas muitos podem ser vencidos com ajuda, trabalho e criatividade.

João Nicastro Silveira, de 11 anos, descobriu sem querer que tem talento para convencer pessoas. E encontrou um motivo para ir à luta: quer conseguir o maior número possível de cães-guia para quem não pode enxergar.

Conheceu esses cães fazendo um trabalho de escola. E já andava impressionado com a cachorrinha que tem em casa, a Sara, que ficou cega. Daí teve a ideia de fazer duas experiências. Primeiro: como é perder a visão?

“A gente olha, é tudo colorido, né? Quando você fecha o olho, você só vê preto. Tudo preto, tudo preto, você não sabe nada do que está acontecendo”, disse.

Depois, ele percebeu que o cão-guia faz mesmo a diferença.

“Ele me ajudou. Eu fingi ser um cego, eu não bati nenhuma vez. Nenhuma mesmo, nada. Nem toquei num lugar.”

Pronto! Nascia o mais jovem voluntário do Instituto IRIS, fundado pela advogada Thays Martinez.

Diesel obedece comandos em inglês e português. Com ele, Thays anda com seguranças pelas ruas de São Paulo. Entra onde quer. Mas até isso ser possível, foram anos de dificuldade. Começou enfrentando o metrô, que não permitia a entrada de animais. Venceu. Conseguiu uma autorização judicial que garantia o seu direito.

Thays não queria os benefícios só para ela. Lutou seis anos na Justiça até que uma lei federal liberasse a livre circulação dos cães-guia. E passou a ajudar outros deficientes a ter um companheiro de quatro patas.

Hoje no Brasil apenas 100 pessoas com deficiência visual têm o seu cão-guia. Outras 3 mil pessoas esperam numa fila que anda bem devagar até conseguir o seu cão. E há mais um problema: dos cães que estão hoje trabalhando, muitos estão velhos, cansados, vão ser aposentados e devem ser substituídos.

Diesel, Sirius e Ellei foram criados e treinados nos Estados Unidos. Por isso, custam caro: cerca de R$ 35 mil. Thays está sempre em campanha para conseguir mais dinheiro.

Com a ajuda da família e de amigos, João fez quatro caixas. E saiu por aí pedindo doações. E quem resiste à animação do menino? A corrente de colaboradores só vai aumentando.

Fonte: http://g1.globo.com/globo-reporter/noticia/2016/07/menino-da-novo-folego-campanha-para-conseguir-caes-guia.html

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *