O mês de março agora será o mês da Dona Nahyr, mulher que dedicou sua vida ao LMC

O mês em que é celebrado o Dia Internacional da Mulher será  
totalmente dedicado à Dona Nahyr, a Mãezinha. A data em que se comemora toda a luta,  conquistas e a independência da mulher terá o nome daquela que mais se dedicou e ajudou a fazer com que o Lar das Moças Cegas chegasse até aqui.

O mês da Dona Nahyr foi instituído pelo Presidente do LMC, senhor Carlos Antonio Gomes, que achou válida a homenagem pelos mais de 60 anos de dedicação e luta pela Instituição. Para fechar a semana, O Lar das Moças Cegas homenageia e conta um pouco da história da Dona Nahyr Fernandes de Araújo, a Mãezinha:

 

Histórico:

Dona Nahyr Fernandes de Araújo nasceu no dia 04 de abril de 1919. No mesmo mês em que foi fundada a Instituição onde dedicaria sua vida. Veio da cidade de Rio Largo, no estado de Alagoas.  Estudou diversas áreas no campo social e da saúde. Foi procurada por Dona Regina Mathilde Nolf Azevedo, que junto com Maria Helena Nolf Figueiredo e Nelson Serra fundaram o Instituto Profissional Paulista para Cegos de São Paulo, para ajudar nos preparativos e da organização da mesma. Aceitou e ficou feliz, pois sua filha também era deficiente.

Desde então, Dona Nahyr, a Mãezinha, como ficou conhecida pelo amor e carinho que oferecia gratuitamente às pessoas, passou a dedicar seus dias em prol da Instituição. Tornou-se administradora residente da entidade que futuramente se tornaria o Lar das Moças Cegas. Se formou em diversos cursos ligados a área social e da saúde, a fim de repassar àquelas que cuidava diariamente. Responsável pelo curso de Atividade da Vida Diária (A.V.D), que implantou no LMC, ficou conhecida pelas boas técnicas que ensinava no dia a dia de casa e leitura por meios especiais. Cursos estes que se mantém até hoje na Instituição.

Deu aos alunos/atendidos o mesmo carinhoso tratamento que dispensou à sua filha, mas nunca abandonou os demais deficientes. Recebeu diversas homenagens como: Troféu “Honra ao Mérito”, conferido pela diretoria do LMC, em 1963; Diploma “Grande Benemérito”, em 1973, ano em que foi homenageada com uma placa, na sala de estar na sede da Instituição, com os dizeres: “Sala de Estar Nahyr Fernandes de Araújo – uma vida dedicada às cegas, homenagem do Conselho e da Diretoria do Lar das Moças Cegas”.

Foi homenageada também pelo Lions Clube de Santos-Norte, em 1972, com o troféu “Rosa de Prata”; em abril de 1975 pela doação de bengalas na campanha “ Nena Lellis”. No dia 08 de março de 1977 recebeu o diploma de “Honra ao Mérito – Mulheres ajudando Mulheres” do clube “Soroptimista” de Santos, no ano Internacional da Mulher.

Trabalhou e continuou a se dedicar ao Lar das Moças Cegas, e a todos os seus alunos/atendidos até o dia 02 de abril de 2011, quando veio a falecer, dois dias antes de completar 92 anos. Dona Nahyr é referência e será pra sempre seu nome indissoluvelmente ligado à entidade.

Print Friendly, PDF & Email