Voluntário: sinônimo de amor e carinho
Voluntário: sinônimo de amor e carinho

Voluntário: sinônimo de amor e carinho

Em falta, o voluntariado é a base para um bom trabalho em organizações como o LMC

No dia 28 de agosto comemoramos o Dia Nacional do Voluntário. O serviço  que tem por sua definição um conjunto de ações de interesse social e comunitário em que toda a atividade desempenhada reverte-se a favor do serviço e do trabalho com objetivos de escolaridade, cívica, científicos, recreativos e culturais, no Lar das Moças Cegas (LMC) é sinônimo de amor e carinho.

Mafalda tem 84 anos e está há 35 no LMC, onde já fez diversos trabalho e hoje é responsável pela confecção dos uniformes das colaboradoras.

Há 35 anos, Mafalda Paiva Areas, 84, conhecida por muitos como “Vó”, dedica suas horas no serviço voluntário no LMC. “Eu adoro ser voluntária de coração! Não sou forçada a nada, sou porque gosto!”, disse. Para ela ser voluntária vai além dos muros, a pessoa vive o voluntariado. “Sou assim na rua, quando vejo alguém precisa. Sou uma voluntária nata”.

Mafalda, que trabalhava como costureira, foi convidada por uma amiga para fazer tricô na máquina. No começo achou estranho porque não iria receber nada, mas não contava com a verdadeira recompensa: o carinho dos alunos. A voluntária conta que já levou muitos dos alunos no colo e só deles ouvirem a sua voz, já a reconhecem. “Tem muitos que eu apenas pergunto se está bem e eles logo me reconhecem. O mais gostoso é o abraço que vem depois!”.

Hoje em dia, Mafalda se dedica em auxiliar outras voluntárias na costura dos materiais usados nos eventos e nos produtos vendidos nas Feiras de Variedades do LMC e também confecciona os uniformes utilizados pelas colaboradoras da Instituição.

Trabalho para alguns, desafio para outros e prazeroso para todos que se dedicam! O voluntariado é encarado de diferentes formas e em diferentes situações. Maria José Santana dos Santos, a Jo, é de Itanhaém e é voluntária do LMC há dois anos. Chegou até a Instituição por conta da sua filha, Keity, que é aluna.

Maria José Santana dos Santos, a Jo, é mãe da aluna Keity e voluntária há 2 anos.

“Vinha apenas traze-la e ficava o dia todo lá embaixo esperando. Logo fui convidada a ser voluntária e me apaixonei”, conta. Jo fala sobre as experiências adquiridas nos dias em que está na Instituição e das histórias que escuta das “meninas”, forma carinhosa como chama as alunas mais idosas. “Aqui é uma lição de vida. Não só minha filha aprende; eu aprendo diariamente. Você não vem para cá somente como voluntária, você vem para aprender!”.

Nas aulas da Oficina Pedagógica, local onde Jo é voluntária, os alunos confeccionam diversos materiais como tapetes, pulseiras, cestos, bolsas e muito mais. As aulas servem para trabalhar o tato e a coordenação motora e tudo que é feito em sala é destinado a venda nas feiras, assim como os produtos preparados pelas voluntárias da costura.

Enquanto ia cortando, delicadamente, cada pedacinho de tecido, Jo se emocionava ao contar da impressão que teve quando chegou. “Você chega na sala e encontra nessas pessoas que não enxergam, a capacidade que elas tem de ver a vida de uma outra maneira! Coisas que a gente, que enxergamos, colocamos obstáculos”.

Jo é voluntária na Oficina Pedagógica

Segundo Jo, quando ela entra em sala para ser voluntária é como se todos os problemas e preocupações fossem esquecidos. “Os problemas do dia a dia eu deixo lá fora. Aqui dentro eu sou a Jo voluntária! Aquela que está aprendendo e ajudando os alunos daqui!”. Ainda segundo ela, sua filha Keity a apoia muito e incentiva no trabalho efetuado no LMC. “Ela fala que adora que eu venha ser voluntária aqui. Ela sempre fala que não podemos reclamar e que a vida só traz coisas boas; e é verdade”.

Ao final, quando questionada “o que representa para você ser voluntária?”, Jo colocou a tesoura na mesa, respirou fundo e falou: “É se doar! É dar um pedaço de você e ter como retorno somente amor, carinho e experiências que você levará para toda vida”.

Trabalho voluntário

Atualmente a Instituição possui cerca de 60 voluntários ativos. Eles estão presentes em áreas como: Pedagogia e Eventos; atuam na prática de esportes, no desenvolvimento por meio da música e auxiliam no Bazar da Pechincha. Com o passar dos anos, o número daqueles que se dedicam gratuitamente à Instituição foi diminuindo e é necessária a busca de novas pessoas para que o trabalho do LMC continue crescendo.

Seja um voluntário do LMC

O trabalho voluntário é um fator importante para o crescimento de organizações como o LMC.  O voluntariado é uma oportunidade de se fazer amigos, viver novas experiências e conhecer outras realidades. Quem o pratica doa sua energia, mas ganha em troca contato humano, convivência com pessoas diferentes, oportunidade de aprender coisas novas, satisfação de se sentir útil.

Seja um voluntário do Lar das Moças Cegas, entre em contato com o setor de Relações Institucionais e agende uma visita monitorada pelo telefone: (13) 3226-2760 /ramal: 2782. As visitas para o voluntariado ocorrem todas as segundas, 16h, quintas às 10h e sextas-feiras às 14h. Venha nos conhecer, seja um voluntário e faça parte desta grande família!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

shares