Uso da bengala também é essencial aos casos de baixa visão
Uso da bengala também é essencial aos casos de baixa visão

Uso da bengala também é essencial aos casos de baixa visão

As bengalas utilizadas pelos deficientes visuais variam de cor de acordo com a classificação de deficiência visual. A bengala branca é usada por cegos, a bengala vermelha e branca por quem é surdo e cego, e a verde por pessoas de baixa visão. Porém, como é a adaptação de um deficiente com a bengala?

O Lar das Moças Cegas vem mostrar como esse processo é feito em uma série de publicações, começando pelos que detém baixa visão. A instituição reconhece os benefícios do uso da bengala em casos de baixa visão com a adesão multidisciplinar.

A avaliação de cada assistido é feita por diferentes áreas de atuação do Lar. São elas: a Fisioterapia, a Psicologia e a Ortóptica. Dessa forma, a assistência é específica para o diagnóstico daquele deficiente. “A bengala vai além da locomoção. Também é peça fundamental no trabalho de identificação do espaço do individuo, senso de direção e a segurança do deficiente”, explica a fisioterapeuta Arine Tabosa, do LMC.

Em alguns casos, o uso da bengala é visto com receio pelo próprio deficiente visual. Por isso, o trabalho psicológico é fundamental, levando à aceitação da bengala como extensão do próprio corpo. Além de tudo, ela é um instrumento que auxilia o reconhecimento dos deficientes visuais na sociedade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *