Histórico

História do Lar das Moças Cegas

Com a presença de Maria Helena Nolf Figueiredo, Regina Mathilde Nolf Azevedo, Nelson Serra e outras personalidades santistas, no dia 18 de abril de 1943 foi realizada a fundação e inauguração, em Santos, de um núcleo vinculado ao Instituto Profissional Paulista para Cegas de São Paulo.

O primeiro objetivo da instituição foi tirar a moça cega da marginalização e oferecer-lhe um sistema de educação e integração à sociedade. Por sugestão de Nelson Serra, a Instituição foi nomeada “Lar das Moças Cegas” que, desligada do Instituto de São Paulo, tornou-se um órgão independente com a finalidade de assistir e educar a mulher cega da região.

Em 1988 a Instituição passou a atender também deficientes visuais do sexo masculino oferecendo- lhes as mesmas oportunidades e direitos. No final da década de 90 a organização deixou de ser um internato.

Desde 1995 o LMC é administrado pelo presidente Carlos Antonio Gomes, Calucho. Com dinâmica visão empresarial, concede uma imagem inovadora à organização.

Em 2017, o Lar das Moças Cegas decidiu expandir os horizontes e, visando novos caminhos, criou Área de Projetos, objetivando o crescimento da Instituição.  Ao longo do ano foram muitas reuniões e muitas discussões para encontrar a melhor maneira de conseguir colocar todos os sonhos em prática.

Atualmente contamos com a parceria de duas grandes empresas: A Fundação Cargill, que apoiou a criação da Padaria Inclusiva, onde é desenvolvido o nosso mais novo curso de panificação, e a Companhia Docas do Estado do São Paulo – CODESP que deu condições de melhoria para nossa Banda Musical e Coral Raio de Luz na aquisição de novos uniformes e instrumentos musicais. 

DONA NAHYR, A MÃEZINHA

maezinha

Dona Nahyr Fernandes de Araújo nasceu no dia 04 de abril de 1919. No mesmo mês em que foi fundada a Instituição onde dedicaria sua vida. Veio da cidade de Rio Largo, no estado de Alagoas.  Estudou diversas áreas no campo social e da saúde. Foi procurada por Dona Regina Mathilde Nolf Azevedo, que junto com Maria Helena Nolf Figueiredo e Nelson Serra fundaram o Instituto Profissional Paulista para Cegos de São Paulo, para ajudar nos preparativos e da organização da mesma. Aceitou e ficou feliz, pois sua filha também era deficiente.

Desde então, Dona Nahyr, a Mãezinha, como ficou conhecida pelo amor e carinho que oferecia gratuitamente às pessoas, passou a dedicar seus dias em prol da Instituição. Tornou-se administradora residente da entidade que futuramente se tornaria o Lar das Moças Cegas. Se formou em diversos cursos ligados a área social e da saúde, a fim de repassar àquelas que cuidava diariamente. Responsável pelo curso de Atividade da Vida Diária (A.V.D), que implantou no LMC, ficou conhecida pelas boas técnicas que ensinava no dia a dia de casa e leitura por meios especiais. Cursos estes que se mantém até hoje na Instituição.

Deu aos atendidos/alunos o mesmo carinhoso tratamento que dispensou à sua filha, mas nunca abandonou os demais deficientes. Recebeu diversas homenagens como: Troféu “Honra ao Mérito”, conferido pela diretoria do LMC, em 1963; Diploma “Grande Benemérito”, em 1973, ano em que foi homenageada com uma placa, na sala de estar na sede da Instituição, com os dizeres: “Sala de Estar Nahyr Fernandes de Araújo – uma vida dedicada às cegas, homenagem do Conselho e da Diretoria do Lar das Moças Cegas”.

Foi homenageada também pelo Lions Clube de Santos-Norte, em 1972, com o troféu “Rosa de Prata”; em abril de 1975 pela doação de bengalas na campanha “ Nena Lellis”. No dia 08 de março de 1977 recebeu o diploma de “Honra ao Mérito – Mulheres ajudando Mulheres” do clube “Soroptimista” de Santos, no ano Internacional da Mulher.

Trabalhou e continuou a se dedicar ao Lar das Moças Cegas, e a todos os seus atendidos/alunos até o dia 02 de abril de 2011, quando veio a falecer, dois dias antes de completar 92 anos. Dona Nahyr é referência e terá pra sempre seu nome indissoluvelmente ligado à entidade.

O mês de março agora será o mês da Dona Nahyr, mulher que dedicou sua vida ao LMC

O mês em que é celebrado o Dia Internacional da Mulher será totalmente dedicado à Dona Nahyr, a Mãezinha. A data em que se comemora toda a luta,  conquistas e a independência da mulher terá o nome daquela que mais se dedicou e ajudou a fazer com que o Lar das Moças Cegas chegasse até aqui.

O mês da Dona Nahyr foi instituído pelo Presidente do LMC, senhor Carlos Antonio Gomes, que achou válida a homenagem pelos mais de 60 anos de dedicação e luta pela Instituição.

LMC

Presidentes

Regina Mathilde Nolf Azevedo - Fundadora
1943

Regina Mathilde Nolf Azevedo

Maria Helena Nolf Figueiredo - Fundadora
1943


Nelson Serra - Fundador e Presidente
1949 a 1962

nelson serra

Carlos Inocêncio Gomes
1963 a 1982

Carlos Inocêncio Gomes – 1963 a 1982

José Lousada Filho
1983 a 1984

jose lousada

Benedito Lellis
1984 a 1985

benedito

Carlos Antonio Gomes
1985 a 1992

carlos antonio gomes

José Carlos Fagundes Martins
1993 a 1994

fagundes

Carlos Antonio Gomes
Presidente

carlos antonio gomes
LMC

LINHA DO TEMPO

Fatos importantes que ocorreram ao decorrer dos anos
- Fundadores Nelson Serra, Maria Helena Nolf Figueiredo e Regina Mathilde Nolf Azevedo, no dia 18 de abril de 1943 foi realizada a fundação e inauguração, em Santos.
- Primeira Sede do Lar das Moças Cegas na AV. Presidente Wilson n°118 em 1943.
- Regina Mathilde Nolf Azevedo e Nelson Serra evento de Fundação do Lar das Moças Cegas.
- Aquisição do imóvel onde, até a presente data, fica a sede da instituição, à Avenida Ana Costa nº 198.
- Presidente Nelson Serra – 1949 a 1962.
Primeiro automóvel do LMC.
- Neste período o Lar das Moças Cegas funcionou com características de administração familiar recebendo meninas/moças cegas, de várias regiões da baixada santista. Os próprios fundadores e eméritos cidadãos custearam as despesas e tinham a ajuda de doações da comunidade.
- Presidente Carlos Inocêncio Gomes – 1963 a 1982.
- Coral Raio de Luz .
- Ampliação e melhoria do prédio da sede. Construção de mais cômodos para recebimento de meninas internas.
- Presidentes José Lousada Filho – 1983, Benedito Lellis – 1984 e Carlos Antonio Gomes – 1985 a 1992.
- Inauguração da Estátua do Cristo.
- Criação do Centro de Educação e Reabilitação para Deficientes Visuais e inclusão, no atendimento, deficientes visuais do sexo masculino.
- Realização da parceria UNIMED e Santa Casa, para a venda de planos de saúde.
- Presidentes José Fagundes Martins – 1993 a 1994 e Carlos Antonio Gomes – 1995 até os dias atuais.
- Bazar do Lar
- Quadra Poliesportiva
- Aquisição de um Caminhão Baú, para recolhimento de doações e transporte de materiais.
- Aquisição de ônibus para transporte de alunos.
- Inauguração da Quadra Poliesportiva e da Brinquedoteca, instaladas no 4° pavimento do prédio da sede.
- Recebimento da Certificação ISO 9001:2000, que atesta a qualidade dos serviços através da normatização do Sistema de Gestão da Qualidade.
- Concessão da Lotérica, parceria com a Caixa Econômica Federal.
- Premiações:o III Troféu Paulo Bueno Wolf, pela destacada atuação na área social.
- Aquisição do prédio da Rua Carvalho de Mendonça no dia 19/03/2001 que possui ligação interna com o prédio da Avenida Ana Costa. Este anexo acolhe o Bazar da Pechincha e o Centro Especializado em Deficiência Visual - CEDV.
- Premiação – VIII Troféu Lydia Federici, pelo reconhecido trabalho da equipe de voluntariado.
- Renovação da certificação ISO 9001:2000.
- Aquisição do Sítio Paraíso no dia 24/02/2005, em Pedro de Toledo. Espaço para atividades externas dos alunos, além de ser fonte de renda através de locação para a comunidade.
- Renovação da certificação ISO 9001:2000.
- Inauguração do Centro Aquático “Carlos Inocêncio Gomes”, para a prática de natação, terapias específicas em ambiente líquido e hidroginástica.
- Reforma da brinquedoteca: climatização (cobertura/telhas térmicas e fechamento lateral com vidros e janelas) e aquisição de novos componentes lúdicos (livros, brinquedos, fantasias).
- Firmada a parceria entre o Santos Futebol Clube e o Lar das Moças Cegas (apoio ao esporte Goalball).
- Renovação/modernização da Sala de Ginástica (reforma da sala, dos vestiários e compra de equipamentos específicos).
- Inauguração da nova entrada social para o Salão de Festas.
- Aquisição de ônibus para transporte de alunos.
- Premiações: Gestão Banas de Qualidade, E-Learning, concedido pelo MicroPower, empresa responsável pela criação do software Virtual Vision. Comunidade em Ação – Voto Popular, pelo reconhecido trabalho em benefício de causas sociais.
- Renovação da certificação ISO 9001:2000.
- Criação do NOCT – Núcleo de Orientação e Capacitação para o Trabalho, com o objetivo de conceder ao deficiente visual formação profissionalizante. Ampliação física da Lotérica da Entidade.
- Renovação da certificação ISO 9001:2000.
- Aquisição de um novo Caminhão Baú, para recolhimento de doações e transporte de materiais de doações.
- Reestruturação da Banda do LMC (aquisição de novos instrumentos que proporcionaram o aumento de participantes e a melhoria do repertório).
- Renovação da certificação ISO 9001:2008.
- Implantação da Renovação Tecnológica (ambiente digital) nos serviços da instituição (compra e instalação de equipamentos para melhorias na Área de TI).
- Inauguração do novo espaço da Imprensa Braille (reforma/ampliação, compra de mobiliário e equipamentos necessários ao serviço).
- Renovação da certificação ISO 9001:2008.
- Homenagem Prefeitura de Santos ao LMC pelos serviços prestados à comunidade.
- O programa NOCT passou a ser denominado programa Visão Eficiente a partir de 07/05/2012, ao ser emitida a declaração atualizada de inscrição no Conselho Municipal de Assistência Social, tendo em vista se tratar de serviço de Promoção da Integração ao Mercado de Trabalho.
- Inauguração da Linha Braille e Scanner de Voz.
- Inauguração “Padaria Inclusiva” – Projeto apoiado pela Fundação Cargill
- Inauguração de novos instrumentos e uniformes para a Banda Musical do LMC e Coral Raio de Luz – Projeto patrocinado pela Companhia Docas do Estado de São Paulo – CODESP
- Implantação do CEDV- Centro Especializado em Deficiência Visual – No prédio anexo da Carvalho de Mendonça.