CERDV

Centro de Educação e Reabilitação para Deficientes Visuais

CERDV

Centro de Educação e Reabilitação para Deficientes Visuais – CERDV: fundado em 10/03/1987 e autorizado para funcionar como escola de educação especial pela Diretoria de Ensino – Região de Santos, por publicação no DOE. 04/02/1999.

Atende alunos com baixa visão e cegos, na faixa etária de 06 meses até à 3ª idade, em turmas formadas por critérios que visam à satisfatória homogeneização dos grupos, visando tanto o melhor resultado na aplicação das estratégias pelos profissionais, quanto no rendimento dos alunos. Há também o atendimento individualizado quando necessário.

Possui grade curricular por Área de Conhecimento, com os seguintes objetivos:

EDUCAÇÃO FÍSICA

Educação Física: proporcionar aos alunos um equilíbrio harmonioso entre corpo e mente, visando dar apoio às demais atividades.

Natação: visar o bem estar físico, psicológico e social do aluno, trabalhando-o de forma global, explorando as características físicas e benefícios da água, respeitando as limitações individuais. Promoção de melhorias na qualidade de vida e desenvolvimento aeróbico, através de práticas de estilo, força e potência.

Hidroginástica: proporcionar fortalecimento e resistência muscular, condicionamento físico geral. Melhora da flexibilidade, do equilíbrio e coordenação, diminuição do estresse e reabilitação física.

Iniciação ao Goalball: apresentar e habilitar o aluno para a prática de um esporte desenvolvido especificamente para deficientes visuais.

Capoeira e Musicalidade na Capoeira: fomentar o sentido de comunidade, estimulando o convívio com outras pessoas, praticando cooperação, lealdade, cortesia e respeito mútuo, além de requerer constante disciplina.

CIÊNCIAS DA NATUREZA

Atividades da Vida Autônoma e Social: desenvolver habilidades que proporcionem o máximo de independência e autossuficiência frente às necessidade diárias do ambiente doméstico, oferecendo ao aluno condições de organizar sua rotina e participar ativamente das tarefas do grupo familiar.

Higiene e Saúde: orientar o aluno quanto às práticas e atitudes que envolvem a higiene pessoal e a preservação da saúde.

Cozinha Experimental e Padaria Inclusiva: habilitar o aluno para o preparo de seu alimento de forma independente e segura e orientá-lo a praticar receitas de pães para consumo próprio ou geração de renda.

Orientação e Mobilidade: oferecer condições para que o aluno possa orientar-se e locomover-se com independência, segurança, eficiência e adequação, de acordo com seu potencial.

 

 

ESTIMULAÇÃO PRECOCE

Intervenção Pedagógica: estimular os sentidos remanescentes dos alunos com idades de 06 meses e até 05 anos e 11 meses, para que sejam capazes de conhecer e comunicar-se com o mundo, de acordo com suas possibilidades.

Intervenção Educativa: promover no aluno de 06 até 8 anos, com comorbidades severas além da visual, a estimulação global. São desenvolvidos aspectos psicomotores sensoriais, cognitivos, sócias e emocionais, levando-se em consideração suas características e necessidades, para o início do processo de alfabetização.

 

 

 

 

 

 

 

MÚSICA

Educação Musical: desenvolver o interesse pela música, estimulando a participação nas aulas, de modo que o aluno consiga trabalhar com ritmos, harmonia e afinação. Visa o desenvolvimento do senso rítmico e melódico, bem como a percepção e compreensão dos elementos do som e da música. Oportunizar ao aluno um espaço de aprendizagem sistematizada em música, aprimorando sua vivência auditiva e estimulando o desenvolvimento de musicalidade e sensibilidade. Fazem parte desse conteúdo aulas de Iniciação Musical, Ritmo e Música, História da Música Popular Brasileira, Banda, Coral, Flauta, Escaleta, Piano, Teclado, Violão e Cavaquinho.

CIÊNCIAS HUMANAS

Prática Educacional Alternativa: desenvolver ações educativas que enfatizam o desenvolvimento de capacidades e habilidades necessárias à melhoria da qualidade de vida, à participação social e à autonomia para continuar aprendendo.

Ética e Cidadania: por meio da discussão a respeito de direitos e deveres do cidadão, tem como objetivo desenvolver e/ou acrescentar valores éticos e morais, que visa o bem comum para a vida em sociedade.

 

MATEMÁTICA

Sorobã: desenvolver no aluno o raciocínio lógico, possibilitando rapidez e precisão na execução das operações matemáticas.

 

 

 

 

 

LINGUAGEM

Alfabetização no Sistema Braille: habilitar o aluno para ler e escrever utilizando os códigos do sistema braile (reglete e punção, máquina braille), proporcionando-lhe ferramenta essencial para, por meio de textos transcritos, adquirir conhecimento, ter acesso à informação e à análise de documentos, como também desenvolver o raciocínio lógico e noção das quatro operações (sorobã).

Informática Educativa – Inclusão Digital: habilitar o aluno para que possa utilizar o computador, scanner de voz e linha braile, de acordo com seu potencial de aprendizado = Virtual Vision, Dosvox, Jaws e Non Visual Desktop Acces (NVDA).

Oficina Pedagógica: exercitar no aluno a percepção tátil, por meio de atividades manuais, algumas com a utilização de pequenas ferramentas, dando-lhes condições de produzir peças para venda e auxílio na renda doméstica.

Assinatura e Prática de Escrita à Tinta: possibilitar ao aluno a condição básica para ser reconhecido como cidadão alfabetizado e firmar sua presença e opinião através do registro independente de sua assinatura ou texto escrito à tinta.

Leitura: oportunizar a discussão de ideias por meio de textos.

Espaço Multifuncional: fornecer um espaço que busque a ampliação de conhecimentos por meio de leitura, pesquisa, discussão de temas variados. Os alunos recebem apoio de professores e voluntários, realizando atividades individuais ou em grupos.

Atendimento Educacional Especializado: orientar e realizar atividades de Apoio Educacional Especializado aos alunos inclusos no sistema regular de Ensino Fundamental e Médio, segundo os conteúdos programáticos de cada ano da escola regular.

Expressão Corporal: proporcionar a sociabilização, melhoria da autoestima e desenvolver valores positivos associados a momentos de descontração e lazer.

Dança Criativa Sensível: integrar o aluno socialmente por meio da música, do movimento e do contato com o outro.

ATIVIDADES EXTRA CURRICULARES

• Ikebana;
• Atualidades;
• Inglês;
• Estudo do meio ambiente;
• Yoga;
• Projeto Motivacional;
• Projeto Biotátil;
• Projeto Jardim Sensorial;
• Grupo Diabetes;
• Dança Circular;
• Projeto Tecnologias Assistivas;
• Crochê.

SERVIÇOS PRESTADOS

Imprensa Braille: atender a todos os deficientes visuais que estejam integrados às escolas municipais, estaduais, particulares e universidade, onde não haja atendimento especializado para essa clientela. Também produzir material impresso para a comunidade e empresas que necessitem de textos codificados em braile ou tipos ampliados.

Nutrição Dietética

O setor de Nutrição do Lar das Moças Cegas tem como objetivo proporcionar uma alimentação balanceada e variada para os alunos e colaboradores, pois trabalha com todas as faixas etárias. A equipe passa por treinamentos constantes em busca da melhoria da qualidade dos nossos serviços.

A Instituição oferece a seu público consumidor (atendidos/alunos e colaboradores) três refeições diárias, de segunda a sexta-feira: colação, almoço e lanche da tarde. Eventualmente são servidos pratos com ingredientes diferenciados, que utilizam partes incomuns dos alimentos e que normalmente são desprezadas durante o preparo.

A equipe de nutrição da entidade acredita que é tempo de desenvolver e estimular, efetivamente, o hábito da alimentação sustentável não só em seu refeitório, mas ampliando o alcance desta ação para os lares de seus consumidores, que serão orientados a atuarem como multiplicadores implementou no ano de 2018 o Projeto de alimentação sustentável, levando-se em consideração a solução dos desperdícios, o preparo e até o descarte de eventuais sobras.

Além de favorecer a saúde, esse tipo de alimentação também traz benefícios sociais, ambientais e econômicos. Está acontecendo o esgotamento dos recursos naturais, o que exige de todas as pessoas novos comportamentos e novas formas de agir e de pensar. No caso dos alimentos é, no mínimo, paradoxal jogar fora partes nutritivas, enquanto parcelas significativas sofrem com desnutrição e fome.

Outra questão que envolve o desperdício é que técnicas inadequadas de produção, transporte, armazenagem e conservação ocasionam perdas significativas antes que o alimento se transforme em refeição.