Além do que os olhos podem ver

Além do que os olhos podem ver

Andrielly

Deficiente Visual, 20 anos, aluna do LMC e atleta do Goalball. Gentil, vaidosa e decidida.

Meu nome é Andrielly, sou amiga da Tatiane, temos 20 anos, nós nos conhecemos aqui no Lar das Moças Cegas. Temos os mesmos gostos e estilo, e uma história parecida: perdemos a visão há pouco tempo.

Eu frequento o LMC há um ano e a Tatiane, há dois meses. Aqui estamos fazendo as mesmas atividades como, por exemplo, o Braille e a Orientação e Mobilidade, que nos ensina a andar pelas ruas, com certos cuidados, e ajuda em nossa independência.

Estou aprendendo Informática, faço estágio do curso Telefonia, treino Goalball, faço parte da Banda do LMC e estou fazendo aula de trompete. Assim como eu a Tati vai ter as mesmas oportunidades. Hoje, ela faz capoeira e também está na Oficina Pedagógica. Ela tem vontade de jogar Goalball, e será uma grande jogadora para nosso time.

Eu estou incentivando-a em várias coisas, mostrando a ela que ser deficiente visual não é um bicho de sete cabeças, no começo temos dificuldades, mas aos poucos vamos vencendo as barreiras. E hoje tanto eu quanto ela podemos dizer que estamos bem e felizes nesse novo mundo.

 

Texto de Andrielly com participação de Tatiane.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.