Amor à primeira voz

Amor à primeira voz

Nas quadras, no LMC e na vida, Isis e Simonal vivem uma história de amor

Isis e SimonalEntre as muitas histórias de amor que nasceram entre os muros do Lar das Moças Cegas (LMC) está a do casal Isis Aurea da Silva Nascimento e Luiz Simonal do Nascimento. Casados há quase três anos, os deficientes visuais se conheceram na instituição e engataram uma relação de cumplicidade, paciência e compreensão.

O romance começou na aula de Braille e segundo Isis, foi amor à primeira voz. “Assim que eu ouvi a voz dele senti uma coisa diferente. Ele é muito alto astral e isso me encantou nele, mas nessa época nós dois namorávamos, então ficamos só na amizade”, conta.

Das aulas de Braille a amizade passou para os corredores, para os grupos de amigos. A admiração e o envolvimento cresceram e após terminarmos os relacionamentos anteriores, os dois engataram o namoro.

“Nossos ex-namorados, tanto o meu, quanto a dele, enxergavam. Essa foi a primeira vez que nos relacionamos com deficientes visuais. E um entende o problema do outro, as dificuldades. Um tem a sensibilidade de entender melhor a situação do outro”, explica Isis.

Isis e simonal

Isis e Simonal são atletas do Goalball do LMC

Isis, que é deficiente visual total, nunca viu seu companheiro, mas o descreve perfeitamente. Já Simonal, que é baixa visão, reconhece a beleza da esposa e não esconde que isso foi um dos pontos que despertou seu interesse. “Quando eu a conheci achei-a muito charmosa mas, além disso, a inteligência e o jeito dela me encantaram”, diz ele.

O namoro durou dois anos. “Eu quis casar desde o começo, mas esperamos. Começamos a nos planejar financeiramente com dois anos de antecedência. Marcamos a data e ficamos noivos seis meses antes do casamento”, conta Isis. A cerimônia aconteceu na Igreja São Judas Tadeu, santo padroeiro do Flamengo, time do coração de Simonal.

Em outubro o casal comemora três anos de casamento, mas em clima de namoro. “O nosso relacionamento não mudou depois do casamento. A responsabilidade aumentou, mas não há diferença, continuamos namorando, dividindo nossa vida esportiva e social”.

Para o dia 12 de junho o casal ainda não tem planos. “Nós costumamos sair para comer ou vamos para algum barzinho, ou até ficamos em casa mesmo. O nosso dia dos namorados é todo final de semana”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.