Como agir corretamente com um deficiente visual – Parte 2
Como agir corretamente com um deficiente visual – Parte 2

Como agir corretamente com um deficiente visual – Parte 2

Saúde Visual traz a segunda parte do código de etiqueta que orienta a relação com as pessoas portadoras de deficiência visual, elaborado pelo Instituto Benjamin Constant, a mais antiga instituição de educação para cegos do País.

1.            Não suponha que a pessoa cega possa localizar a porta onde deseja entrar ou o lugar aonde queira ir, contando os passos.

2.            Não tenha constrangimento em receber ajuda ou aceitar gentilezas por parte de alguma pessoa cega. Tenha sempre em mente que a solidariedade humana deve ser praticada por todos e que ninguém é tão incapaz que não tenha algo para dar.

3.            Não se dirija à pessoa cega por meio de seu guia ou companheiro, admitindo assim que ela não tenha condição de compreendê-lo e de expressar-se.

4.            Não guie a pessoa cega empurrando-a ou puxando-a pelo braço. Basta deixá-la segurar seu braço, que o movimento de seu corpo lhe dará a orientação de que precisa. Nas passagens estreitas, tome a frente e deixe-a segui-lo, mesmo com a mão em seu ombro.

5.            Quando passear com a pessoa cega que já estiver acompanhada, não a pegue pelo outro braço, nem fique lhe dando avisos. Deixe-a ser orientada só por quem a estiver guiando.

6.            Não carregue a pessoa cega ao ajudá-la a atravessar a rua, tomar condução, subir ou descer escadas. Basta guiá-la, pôr lhe a mão no corrimão, por exemplo.

7.            Não pegue a pessoa cega pelos braços rodando com ela para pô-la na posição de sentar-se, empurrando-a depois para a cadeira. Basta pôr lhe a mão no espaldar ou no braço da cadeira, que isso lhe indicará sua posição.

8.            Não guie a pessoa cega em diagonal ao atravessar em cruzamento. Isso pode fazê-la perder a orientação.

9.            Não diga apenas “à direita”, “à esquerda”, ao procurar orientar uma pessoa cega à distância. Muitos se enganam ao tomarem como referência a própria posição e não a da pessoa cega que caminha em sentido contrário ao seu.

10.          Não deixe portas e janelas entreabertas onde haja alguma pessoa cega. Conserve-as sempre fechadas ou bem encostadas à parede, quando abertas. As portas e janelas meio abertas constituem obstáculos muito perigosos para ela.

11.          Não deixe objetos no caminho por onde uma pessoa cega costuma passar.

Fonte: http://www.hospitaldeolhos.com.br/noticia/1884

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.