Conheça cinco destinos acessíveis para deficientes
Conheça cinco destinos acessíveis para deficientes

Conheça cinco destinos acessíveis para deficientes

Na frente está Foz do Iguaçu, cujo parque nacional possui acesso a cadeirantes para todas as passarelas

Cerca de 45 milhões de brasileiros têm algum tipo de deficiência ou mobilidade reduzida, mas nem todas as cidades brasileiras pensam neste vasto público ao organizar seus espaços para receber visitantes. A empresa Guichê Virtual mapeou destinos e encontrou cinco161015202922_viagem municípios em que a acessibilidade é ponto forte.
Na frente está Foz do Iguaçu (PR), localizada na tríplice fronteira (Brasil, Argentina e Paraguai). O parque nacional possui acesso a cadeirantes para todas as passarelas, até mesmo para a Garganta do Diabo – queda com maior fluxo de água. Pioneira no turismo de inclusão, a cidade oferece ainda salto de paraquedas para pessoas com deficiência física.
Salvador (BA) se orgulha de possuir uma rota de acessibilidade ao Centro Histórico. O caminho permite que os 700 mil soteropolitanos, os mais de 3 milhões de baianos e os milhares de turistas com mobilidade reduzida tenham acesso às principais ruas do Centro Antigo e ao Pelourinho.
Considerada um modelo de acessibilidade pela Organização das Nações Unidas (ONU), Uberlândia (MG) tem 100% do transporte público acessível e mais de 500 rampas de acessos nas calçadas – pontos convidativos para visitas ao Museu ou ao Mercado Municipal, construído em 19
23.
A maior cidade da América Latina está longe de ser um primor neste quesito, mas São Paulo possui equipamentos públicos com condições elogiáveis de acessibilidade – como o Memorial da América Latina e o Museu do Futebol.
Por fim, Fortaleza (CE) também se destaca por projeto recente com esteiras e cadeiras anfíbias, além de rampas acessíveis no calçadão da capital cearense.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.