De alunos a colaboradores
De alunos a colaboradores

De alunos a colaboradores

Alguns alunos e ex alunos que hoje são colaboradores da Instituição, da esquerda para direita, Verena, Ainez, Andrielly, Gilberto e Gilmar

Alguns alunos e ex alunos que hoje são colaboradores da Instituição. Da esquerda para direita Verena, Ainez, Andrielly, Gilberto e Gilmar

O objetivo do Lar das Moças Cegas é a reabilitação e a inclusão social dos deficientes visuais, dentre elas a inclusão no mercado de trabalho. Por isso, o LMC reconhece os alunos que se destacam, oferecendo-lhes uma oportunidade profissional. Foi assim com Sílvio, Gilmar, Valéria, Elton, Andrielly e Verena.

Sílvio Gonzaga perdeu a visão há 21 anos. Entrou para o LMC, onde fez sua reabilitação. “Aqui aprendi Braillle, Orientação e Mobilidade e fui o primeiro aluno de informática do Lar das Moças Cegas, com a professora Carmen”, conta.

O computador foi muito importante para ele e trouxe a possibilidade de recomeçar a vida profissional. “Eu nunca tinha usado computador antes, e ele foi muito importante para mim. Através dele pude estudar, e há 15 anos o Lar me deu a oportunidade de multiplicar voluntariamente esse aprendizado. Hoje estou na função de professor, mas é uma estrada que vai e volta. A gente aprende muito com os alunos, sorri e chora junto”, explicou o professor.

Outro membro da equipe pedagógica é Gilmar Ribeiro, professor de Orientação e Mobilidade desde 2004. Gilmar chegou na instituição em 1991, aos 16 anos. Fez sua reabilitação e teve sua primeira oportunidade profissionalizante. “Meu primeiro emprego foi em uma loja de material de limpeza do Presidente Carlos Antonio Gomes. Depois que a loja fechou, trabalhei como voluntário de 93 a 95 aqui no Lar, depois fui contratado, em 1995, como Office Boy”, conta Gilmar.

Como professor Gilmar passa sua experiência para os alunos. “O trabalho para mim é um instrumento para ajudar outras pessoas. Eu me vejo nele e passo minha experiência. Para nós deficientes, o trabalho é uma superação que só depende da gente. Eu tento ser um exemplo para eles”, explica o professor.

Gilmar e Valéria durante aula de Orientação e Mobilidade

Gilmar e Valéria durante aula de Orientação e Mobilidade

O cargo de Office Boy hoje é ocupado por Elton.

Outro setor por onde já passaram muito alunos é a telefonia. Valéria, que hoje atua como Auxiliar de Orientação e Mobilidade, ocupou o cargo por 7 anos. “O Lar das Moças Cegas foi um divisor de águas na minha vida. A instituição abriu a porta do mundo para mim. No Lar das Moças Cegas conclui o Ensino Fundamental e o Ensino Médio, fiz cursos profissionalizantes e em 2007 entrei para o quadro de colaboradores da entidade como telefonista”, conta Valéria.

Atualmente a telefonia do LMC conta com duas jovens na função. Andrielly está há pouco mais de ano no cargo, e Verena assumiu a função em outubro de 2015.  “Foi uma conquista inesperada, porque no meio de uma crise onde muitas pessoas estão perdendo o emprego, eu tive essa oportunidade. E estou muito feliz”, conta Verena.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *