Deficientes visuais expõem obras na Secretaria de Planejamento
Deficientes visuais expõem obras na Secretaria de Planejamento

Deficientes visuais expõem obras na Secretaria de Planejamento

“Alguns são cegos de nascença, outros perderam a visão no decorrer da vida, mas todos conseguem enxergar de uma outra forma, a ponto de ver além”, é com essas palavras que Adriana Chaluppe, artesã e monitora da Escola Estadual de Cegos Cyro Accioly, define seus apre8e3e33d2-b975-4684-92b9-fed110e030b3ndizes. Artesãos de mão cheia, os artistas alagoanos expuseram suas obras na manhã desta terça-feira (18), na Secretaria de Estado do Planejamento, Gestão e Patrimônio (Seplag). A atração, que encheu de cultura e saber o dia dos servidores da pasta, faz parte do calendário da Semana Interna do Servidor 2016.

De acordo com Chaluppe, o trabalho, além de otimizar a coordenação motora e propor uma forma de renda alternativa, tem o intuito de desenvolver a habilidade criativa dos estudantes.

“Eles têm uma habilidade manual muito grande. Ao passo que vão vendendo as obras, os artesãos vão comprando novos artigos e investindo em técnicas que sentem necessidade de aprender. É um ciclo produtivo e criativo muito amplo e que só tem rendido frutos positivos a todos”, explicou a monitora.

Para Chaluppe, o resultado das obras vai muito além do aspecto financeiro. A artesã conta que alguns de seus aprendizes sofrem de depressão e veem na arte a válvula de escape perfeita para os momentos de dificuldades.

“A partir da interação que a arte promove, do prestígio a cada venda realizada, a autoestima deles se eleva, e o ganho é muito maior. É um trabalho que os ajuda e que me ajuda muito como pessoa, eles são artistas que merecem ser reconhecidos e essa oportunidade de expor as obras na Seplag é muito importante, é uma forma de valorização”, explicou a artesã.

Marisa dos Santos, de 49 anos, perdeu a visão depois dos 20, e só então é que começou a estudar. Foi aí que a alagoana descobriu que podia ver através dos outros sentidos e que se apaixonou pelo artesanato, principalmente pelo macramê. É ao tecer dos fios que a artesã conhece mais sobre si mesma e sobre o mundo a sua volta.

“Hoje, eu enxergo muito mais do que quando tinha a visão, e o trabalho manual tem sido de grande ajuda nesse processo. A cada dia temos um novo aprendizado, a cada dia exploramos nossa criatividade”, afirmou.

Rinaldo dos Santos, de 46 anos, tem a arte como uma terapia. Uma forma de ocupar a cabeça contra as dificuldades impostas pelas limitações que a deficiência trouxe. Perfeccionista em suas obras, o alagoano afirma que a oportunidade de expor seus trabalhos é mais do que valorização. “É uma forma de mostrar à população que nós, deficientes visuais, podemos, que somos capazes”, completa o artesão.

João Felipe Rezende, colaborador da pasta, prestigiou o momento e ficou encantado com a habilidade e a criatividade demonstradas nas obras.

“Desde as esculturas, até os colares, é perceptível o cuidado manual que os artistas colocam em seus trabalhos. Poder entrar em contato com esse tipo de arte, cheia de vivência, no nosso ambiente de trabalho, é muito gratificante”, afirmou João Felipe.

Para o secretário do Planejamento e Gestão, Christian Teixeira, a exposição é uma forma de fazer com que os servidores encontrem novas realidades e, ao mesmo tempo, apreciem, em casa, a cultura alagoana.

“A Semana do Servidor tem um caráter muito cultural, e as obras dos artesãos da Escola de Cegos Cyro Accioly não poderiam deixar de ser apreciadas pela nossa pasta nesse momento. O dia foi de valorização, tanto para os servidores, como para os artesãos, e de sensibilização para a inclusão social e a acessibilidade no nosso Estado”, afirmou o titular da Seplag.

Fonte: http://www.cadaminuto.com.br/noticia/294132/2016/10/18/deficientes-visuais-expoem-obras-na-secretaria-de-planejamento

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.