Dez coisas que você precisa saber sobre hipertensão arterial
Dez coisas que você precisa saber sobre hipertensão arterial

Dez coisas que você precisa saber sobre hipertensão arterial

É chamado de pressão arterial o movimento que faz o sangue quando é bombeado do coração para irrigar os órgãos do corpo, e essa ação exerce força contra as paredes das artérias. O aumento dessa força é chamado de hipertensão arterial.

De acordo com o Dr. Nicola Grosso Filho, a doença se torna ainda mais perigosa por ser silenciosa e os sintomas se manifestarem quando já há riscos de sequelas graves e até morte. “A boa notícia é que é possível prevenir e cuidar da hipertensão”, explica o cardiologista da Salute Clínicas Especializadas.

Os fatores de risco para a hipertensão arterial são: idade elevada, obesidade, falta de exercícios físicos, má alimentação, sal em excesso, consumo de álcool, tabagismo e estresse.

Pessoas negras têm maior predisposição genética para adquirir a doença e também de desenvolverem a hipertensão em níveis mais graves.

Medir a pressão arterial pelo menos uma vez ao ano, mesmo sem apresentar nenhum sintoma, pode fazer com que se descubra a doença a tempo de controlá-la.

Praticar atividades físicas todos os dias, controlar o peso, manter a alimentação saudável com pouco sal, sem frituras e com mais frutas, legumes e verduras, não fumar, não beber e evitar situações de estresse também são ações contrárias à hipertensão.

Quase sempre a doença não apresenta sintomas, mas é preciso atenção aos seguintes sinais: dores no peito, dor de cabeça, tonturas, zumbido no ouvido e visão turva podem ser indícios de hipertensão arterial.

Quando a doença já está instalada e as ações acima recomendadas não dão conta de diminuir a pressão arterial, é preciso agir com o tratamento medicamentoso, com uso de várias classes de remédios como antagonistas do cálcio, betabloqueadores, inibidores da ECA, bloqueadores do receptor da angiotensina II, podendo ser utilizados como monoterapia ou associados com algumas classes de remédios, como simpaticolíticos de ação central, vasodilatadores diretos, diazóxido e nitroprussiato.

Jovens e crianças também podem ter hipertensão, então é preciso que nessas fases também seja feita a aferição da pressão.

O ritmo de vida atual favorece o surgimento da hipertensão, devido à intensa rotina de trabalho ou estudo, aliada aos problemas com a alimentação, à falta de exercícios e estresse.

Quando não tratada, a hipertensão arterial pode causar acidente vascular encefálico – conhecido como derrame cerebral – infarto agudo do miocárdio, insuficiência cardíaca, angina (dor no peito) e insuficiência renal que pode levar à paralisação dos rins e alterações na visão, causando também cegueira.

A melhor forma de controle é a aferição da pressão arterial, pelo menos uma vez por ano para quem não apresenta nenhum sintoma, nem fator de risco ou genético, e com maior frequência, recomendada pelo médico, quando há a doença estabelecida ou algum fator de risco pré-existente.

Fonte: http://www.segs.com.br/saude/50294-dez-coisas-que-voce-precisa-saber-sobre-hipertensao-arterial.html

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.