Falta de informação ‘freia’ inclusão de deficientes no mercado de trabalho
Falta de informação ‘freia’ inclusão de deficientes no mercado de trabalho

Falta de informação ‘freia’ inclusão de deficientes no mercado de trabalho

A falta de informação das empresas é o principal fator que dificulta a inclusão de pessoas portadoras de alguma deficiência no mercado de trabalho. Essa foi a conclusão de 90% dos profissionais de RH entrevistados numa pesquisa sobre o assunto.

O levantamento, que foi realizado por uma empresa de consultoria especializada nesta área, mostra ainda que 67% dos gestores mostram resistência na hora de contratar deficientes e 86% só o fazem para preencher o número de cotas. O assunto foi o destaque do quadro “Sua Chance”, do Bom Dia Cidade, da EPTV, afiliada da TV Globo.

A coordenadora de uma clínica especializada em inclusão social, Claúdia Dubard, conta que há bastante desinformação, principalmente sobre o autismo. “Muitas pessoas precisam ser entendidas em sua história e nas suas capacidades para serem incluídas no mercado de trabalho”.

A resistência de muitos contratantes esta na falta de preparação destes para lidar com as limitações e descobrir as capacidades que esses indivíduos apresentam. Nesse cenário, uma alternativa é ir atrás de clínicas especializadas para ampliar  o conhecimento sobre as habilidades dessas pessoas e contribuir para a inclusão.

Empresas que procuram informações consguem realizar um bom trabalho com deficêntes (Foto: Reprodução EPTV)
Rafael é altista e trabalha como estoquista numa
empresa de auto peças (Foto: Reprodução EPTV)

Um bom exemplo de inclusão é o do Rafael Tomazeli, que é autista e foi contratado como estoquista no setor de distribuição de uma empresa de autopeças.

O gerente, Alexandre Pereira Souza, conta que foi necessário conversar com a clínica que o indicou para entender as limitações dele e trabalhar da maneira mais proveitosa as suas habilidades.

“Conversamos muito com o instituto e com essas informações conseguimos fazer um trabalho muito bom”, disse sobre a parceria com a clínica.

Os outros funcionários que trabalham com Rafael aprovaram a iniciativa  da empresa e elogiam o colega que, segundo eles, esta sempre empenhado em fazer as atividades com dedicação, “Agente interage bastante. Ele é  muito esforçado, com ele não tem essa coisa de preguiça, quando ele pega para fazer vai até o final”, conta o conferente Jeferson de Campos.

Iniciativas como essa podem ajudar a mudar os resultados nada positivos que a pesquisa sobre inclusão no mercado de trabalho revelou. É necessário que as empresas se adaptem as diferenças para criarem uma cultura que consiga ver as qualidades que a inclusão pode trazer para os negócios.

“Você dando oportunidades para pessoas que necessitam e tem limitações, você consegue melhorar como pessoa também”, aconselha Alexandre Pereira Souza.

Fonte: http://g1.globo.com/sp/campinas-regiao/concursos-e-emprego/noticia/2016/03/falta-de-informacao-freia-inclusao-de-deficientes-no-mercado-de-trabalho.html

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *