Glaucoma: surgem 2,4 milhões de novos casos a cada ano no mundo

Glaucoma: surgem 2,4 milhões de novos casos a cada ano no mundo

Nesta terça-feira (26.05) é comemorado o Dia Nacional de Combate ao Glaucoma, que tem com objetivo de orientar a população sobre o risco da doença.

O seu tipo mais comum é considerado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como a segunda causa mais frequente de cegueira irreversível em todo mundo (o glaucoma primário de ângulo aberto).

Hoje, estima-se que há 3 milhões de casos de cegueira irreversível causada por Glaucoma. A cada ano surgem 2,4 milhões de novos casos do tipo primário de ângulo aberto no mundo.

A forma mais comum da doença é hereditária, e está ligada ao aumento da pressão intraocular. Entretanto, existe também o que pode ser adquirido, e se deve a situações como trauma ocular, uso de corticoides, patologias sistêmicas como diabetes.

O oftalmologista Valdemiro Neto explica que existe um grupo de risco que deve atentar para a doença; são eles: pacientes com histórico familiar positivo de glaucoma, pacientes míopes, pacientes diabéticos e com idade acima de 40 anos. Mas o principal fator de risco é a pressão intraocular elevada.

De acordo com o oftalmologista, essas pessoas precisam dar uma atenção especial para o problema. “Deve ser realizada todo ano uma avaliação oftalmológica, onde é verificada a pressão intraocular e o fundo do olho. Em se achando alteração, realizam-se os exames mais específicos para o glaucoma. Em se fazendo o diagnóstico, iniciar-se o tratamento o mais precocemente possível”.

O Glaucoma não tem cura, mas pode ser controlado. Por isso, o diagnóstico e o tratamento precoce, bem como o acompanhamento periódico dos casos suspeitos são imprescindíveis para evitar a cegueira irreversível. Com tratamento a base de colírios, laser, ou, em casos específicos, cirurgia, o paciente pode levar uma vida relativamente normal.

O doutor Neto atenta para a possibilidade de pacientes conseguirem uma ajuda de custo nos tratamentos. “O uso do colírio é diário, então existem programas do governo que cedem os colírios, cujo preço varia dependendo do grau de intensidade”.

Fonte: http://www.tribunadabahia.com.br/2015/05/26/glaucoma-2-4-milhoes-de-novos-casos-surgem-cada-ano

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.