Jovens talentos trazem renovação para as equipes de Goalball
Jovens talentos trazem renovação para as equipes de Goalball

Jovens talentos trazem renovação para as equipes de Goalball

Paulinho e Pedrinho durante jogo de Goalball

Paulinho e Pedrinho durante jogo de Goalball

O Goalball faz parte da grade do Lar das Moças Cegas há mais de uma década. Desde então muitos atletas de destaque já vestiram a camisa do LMC e do Santos F.C., parceiro da instituição desde 2006. Nos últimos anos os técnicos vêm apostando em novos talentos com o objetivo de renovar os times.

Pedro Lucas, 15 anos, e Paulo Rubens, 17 anos, são os mais jovens do time do Santos F.C. e, apesar da idade, não ficam atrás dos outros. Muito pelo contrário, eles vêm se destacando dentro e fora da equipe. Neste ano, foram convocados para integrar a equipe do estado de São Paulo nos Jogos Paralímpicos Escolares, a maior competição nacional para estudantes esportistas com deficiência.

Paulo já esteve na competição no ano passado, enquanto Pedro estreou este ano. Destaque para Paulinho, que marcou 11 gols na semifinal contra Minas Gerais. O rendimento lhe trouxe a atenção do coordenador da modalidade, Paulo Miranda. “O Paulinho vem se destacando e está cotado para a Seleção Brasileira. E acredito que o Pedro vai traçar o mesmo caminho”, conta Danilo Rong, técnico da equipe masculina de goalball do LMC.

Assim como Paulo Rubens, sua namorada Larissa, atleta da equipe feminina do LMC, tem chances de ir para Seleção Principal. “A Larissa, disciplinada, muito aplicada nos treinamentos, faz parte da seleção Paulista Paralímpica Escolar. Já participou da seleção Paulista principal e tem tudo para ser uma grande atleta”, diz José Mauro Neri, técnico das equipes femininas do LMC.

De acordo com os técnicos, este é um trabalho importante para renovação da equipe. “Hoje temos uma equipe competitiva, mas com a experiência eles vão progredir e, consequentemente, vamos alcançar melhores resultados. Estamos fazendo um trabalho de pesquisa e revelação de novos atletas. O Goalball não é esporte de retorno rápido, é um esporte técnico e este será um trabalho a longo prazo”, explicam.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *