Judô Paralímpico brasileiro segue para os Jogos Mundiais da IBSA na Coreia do Sul

Judô Paralímpico brasileiro segue para os Jogos Mundiais da IBSA na Coreia do Sul

Karla Cardoso (quimono branco) e Michelle Ferreira (quimono azul) colecionam grandes resultados (Wander Roberto/CBDV/Inovafoto)
A Seleção Brasileira de Judô Paralímpico embarca no início da madrugada da próxima quinta-feira (7), para Seul, Coreia do Sul, onde irá participar dos Jogos Mundiais da IBSA (sigla em inglês para Federação Internacional de Esportes para Cegos). O evento é um dos grandes desafios do ano e servirá para o Brasil competir em alto nível como preparação para a disputa dos Jogos Paralímpicos do Rio 2016.
O Brasil será representado em todas as categorias, exceto no meio-pesado masculino (-100 kg).  Ao todo são 15 atletas, sendo oito homens e sete mulheres, com destaque para o tetracampeão paralímpico Antônio Tenório (-90 kg), além das também medalhistas paralímpicas, Karla Cardoso (-48 kg), Michelle Ferreira (-52 kg), Lúcia Araújo (-57 kg) e Deanne Almeida (+70 kg).
Aliando experiência e juventude o Brasil espera superar o número de medalhas conquistadas na última edição da competição. No último Mundial, na Turquia, em 2011, a seleção canarinho voltou para casa com o ouro de Daniele Silva, a prata de Lúcia Araújo e os bronzes de Antônio Tenório e Giovana Pilla. Para este ano, Tenório e Lúcia podem repetir a dose e subir no pódio mais uma vez.
Além dos judocas renomados e com grandes resultados, a comissão técnica aposta também nos novos talentos que surgiram nos últimos anos. Nomes como Abner Nascimento, Alana Maldonado, Arthur Silva, Luiza Oliano, Rayfran Pontes e Wilians Araújo, surgem como novas esperanças para o Brasil atingir os resultados esperados.
Algumas dessas apostas já rendem frutos dentro dos tatames. No Campeonato Mundial 2014, nos Estados Unidos, Wilians Araújo conquistou o bronze na categoria pesado, e segue com moral para o evento na Coreia do Sul. Também confiante num grande resultado, Alana Maldonado comentou como se sente às vésperas de sua primeira competição internacional.
– Estou confiante, preparada. Estamos fazendo um trabalho bastante intensivo e forte. Vai ser uma novidade enfrentar as atletas lá de fora, mas estou preparada fisicamente e psicologicamente, principalmente – disse Alana, que passou a ser convocada em janeiro deste ano.
A Seleção Brasileira de Judô Paralímpico conta com o patrocínio da INFRAERO e o apoio do Governo Federal para se preparar para as competições, principalmente para os Jogos Paralímpicos do Rio 2016.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.