Lar das Moças Cegas participa da Feira de Ciências do Liceu Santista
Lar das Moças Cegas participa da Feira de Ciências do Liceu Santista

Lar das Moças Cegas participa da Feira de Ciências do Liceu Santista

A 10ª edição do Multirreferências da Ciência e da Arte aconteceu no último sábado, dia 07/11. O evento realizado pelo colégio Liceu Santista reuniu trabalhos produzidos ao longo do ano por alunos da Educação Infantil aos Ensinos Fundamental e Médio. O Lar das Moças Cegas (LMC) participou do evento em atividade realizada pelos sétimos anos.

Este ano, a exposição se inspirou em temas como sustentabilidade, crise hídrica, folclore brasileiro, grandes invenções, cidadania, arte e literatura, além de atividades produzidas de forma interdisciplinar. As propostas foram desenvolvidas sob o olhar atento e minucioso dos professores e coordenadores pedagógicos, conferindo significância durante todo o processo de aprendizagem.

Orientados pela professora Rosemeire, os alunos dos sétimos anos, escolheram o tema “Olhar a vida com outros olhos” e usaram o LMC referência.

De acordo com a professora, foi uma troca muito valiosa. “Eu pude conhecer o trabalho da instituição durante a visita monitorada e trouxemos o professor Gilmar na escola. Eles adoraram a palestra do professor e absorveram o conteúdo”, explicou a professora.

Para realizar o trabalho apresentado durante a Mostra, a professora contou com apoio da equipe do Lar das Moças Cegas. Além de todas as informações passadas na visita e foi apresentado a ela o trabalho realizado na Mostra.

Assim como no evento da instituição, foi montado um Espaço Sensorial que trabalhou o tato, o paladar, a audição e olfato e um Circuito para Orientação e Mobilidade. Nos dois espaços os alunos guiavam os visitantes e mostravam os conhecimentos adquiridos através da professora e do professor de Orientação e Mobilidade, Gilmar Ribeiro.

Gilmar também esteve no evento. Ele e a aluna e colaboradora do LMC Verena Amaral ficaram em uma mesa apresentando o Sistema Braille e a instituição.  “É muito importante essa interação, por isso fiz questão de participar”, explicou Gilmar.

Durante a manhã, forma mais de 300 nomes escritos em Braille e alfabetos entregue. Alunos, pais e familiares elogiaram o trabalho feito pelo grupo e pela instituição.

“A instituição faz um trabalho fundamental. E o nosso principal objetivo agora é uma maior aproximação com a comunidade, utilizando como veículo eventos com fluxo de fora para dentro, ou seja, que tragam as pessoas até a entidade para que conheçam o nosso trabalho”, explicou a diretora Marta Valdívia.

Ações como essa mostram o papel social da entidade. Além disso, as crianças, como excelentes percursoras, divulgam e ampliam o conhecimento sobre a instituição e o deficiente visual.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *