O balé em minha vida

O balé em minha vida

Maethe

Aluna do LMC. Baixa Visão, 15 anos. Tímida e inteligente, gosta de música e teatro.

Ter a oportunidade de poder dançar balé foi para mim muito incrível, porque quando comecei a fazer as aulas eu percebi que era com aquilo que eu queria trabalhar. Foi na dança que eu descobri qual seria meu futuro.

Quando estou dançando sinto uma sensação de liberdade. É como se eu fosse uma borboleta que acabou de se formar e está pronta para sair do seu casulo, voando pelo mundo. Ou seja, quando danço, atuo ou canto é como se eu estivesse viajando pelo universo ao lado das estrelas.

Mas, também tive meus momentos de desânimo quando muitos diziam que eu era louca, que isso não era um profissão. Porém, eu sempre disse que eu só não iria alcançar meu objetivo se eu não quisesse. Por isso, até hoje luto pelos meus sonhos e sei que um dia vou chegar lá e serei muito feliz.

O Balé me ensinou a nunca desistir dos meus objetivos. Então fica o meu conselho: Se você tem um sonho, corra atrás, porque ele só não vai se realizar se você deixar de acreditar nele.

Texto de: Maethe Rodrigues

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.