Passeio de Bike Adaptada permite vivenciar uma nova realidade
Passeio de Bike Adaptada permite vivenciar uma nova realidade

Passeio de Bike Adaptada permite vivenciar uma nova realidade

O passeio de bike adaptada, promovido pela I Virada Inclusiva de Santos, na manhã deste domingo (7), no Parque Roberto Mário Santini, foi além da curtição do ciclismo. Pessoas com deficiência ou não puderam trocar experiências e sensações, em uma interação cidadã.

Larissa Mariane Medeiros de Abreu, de 20 anos, é surda. Ela andou de handcycle, bicicleta adaptada para cadeirantes. Já Mariella Cappa não tem deficiência e também pedalou na handcycle. “Muito confortável, perfeitamente adaptada. Não dá vontade de parar”.

Na sequência, de olhos vendados, subiu na tandem, bicicleta dupla, especial para deficientes visuais. Como piloto de frente, conduzindo o veículo, a premiadíssima atleta Nelma Raizer. “Tem que haver sincronia entre os dois ciclistas, não basta só o da frente pedalar”, ensinou a campeã. Emocionada, Mariella contou depois: “Você só percebe o corpo, não sabe onde está indo, tem que confiar totalmente no condutor. Dá para sentir como é ser deficiente visual.”

Sophia Andrade, de 9 anos, igualmente andou de tandem. “Gostei. Conhecia a bicicleta por ilustrações e sempre quis andar. Acho legal porque a gente interage com as deficiências”.  A pequena Helena Chacur, de 5 anos, pediu para a mãe, Ana Paula Chacur, colaboradora da Virada Inclusiva, para passear de handcycle.

Já a paratleta deficiente visual, Márcia Ribeiro, 28, que compete há 4 anos, tendo Nelma Raizer como parceira há cerca de um, fez demonstração de tandem e também andou de handcycle. “Muito interessante a iniciativa para que as pessoas conheçam mais o esporte e os equipamentos, pois fora do País são bem mais conhecidos”.

Há mais de 30 anos exemplo de protagonismo no esporte adaptado, Eliziário dos Santos, o Motorzinho, fez questão de participar do passeio. Como Nelma, tem extensa lista de prêmios, sendo o último na Copa Brasil de Paraciclismo, em que conquistou o segundo lugar na categoria H3. “Eram cinco categorias, conforme a condição funcional do atleta”, explicou.

A atividade foi acompanhada pelo coordenador de Políticas para Pessoa com Deficiência (Codep), da Secretaria de Cidadania (Secid), Eduardo Ravasini; pela intérprete de Libras (Língua Brasileira de Sinais) Karoline do Amparo Fernandes, da Congregação Santista de Surdos, e pelo professor de Educação Física da Fupes (Fundação Pró-Esporte de Santos)/Semes (Secretaria Municipal de Esportes), Eduardo Leonel.

A Virada Inclusiva é coordenada pela Secretaria de Defesa da Cidadania (Secid), com apoio das secretarias de Cultura, Educação e Esportes, e integra o calendário da Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência do Estado de São Paulo. Teve início na quarta-feira (3) e encerrou-se neste domingo (7) no movimento Onda da Paz.

Fonte: http://www.santos.sp.gov.br/?q=noticia/877693/passeio-de-bike-adaptada-permite-vivenciar-uma-nova-realidade

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.