Pessoas com deficiência visual serão espectadores em apresentação de dança

Pessoas com deficiência visual serão espectadores em apresentação de dança

Atendidos pelo Lar das Moças Cegas utilizarão recursos de audiodescrição

Bailarinos em cena

O espetáculo de balé da São Paulo Companhia de Dança, que será apresentado no Palácio das Artes, em Praia Grande, nos dias 25 e 26 de julho, às 20 horas, contará com um grupo de espectadores com deficiência visual. Sete atendidos do Lar das Moças Cegas acompanharão o espetáculo com o recurso de audiodescrição (modo que transmite ao público cego, por meio de fones de ouvido, informações sobre a apresentação). O evento será realizado no Teatro Serafim Gonzalez, no Complexo Cultural Palácio das Artes, localizado na Avenida Presidente Costa e Silva, 1600, Bairro Boqueirão. Os ingressos são gratuitos e serão distribuídos uma hora antes dos espetáculos.

De acordo com a assistente de direção pedagógica do Lar das Moças Cegas, Fabiana Santos da Silva, todos estão muito animados com o espetáculo. “Já realizamos excursões para acompanhar sessões de cinema com audiodescrição, mas esta será a primeira vez que eles acompanham dança com este recurso”. Fabiana da Silva elogiou a iniciativa. “Tudo que incentiva produtos culturais voltados para as pessoas com deficiência é muito importante”.

Pessoas com deficiência auditiva também poderão aproveitar o espetáculo. O mesmo aplicativo da companhia, que transmite para smartphones e tablets os recursos de audiodescrição, também envia dados de interpretação na Língua Brasileira de Sinais (Libras) e em subtitulação (legendagem), com detalhes sobre cenário, figurino e, principalmente, os movimentos dos bailarinos. Ao entrar no teatro, o espectador poderá optar por baixar o aplicativo com os recursos ou pegar emprestado tablets já equipados com o software.

De acordo com o coordenador geral da Mais Diferenças, empresa responsável pelo trabalho de acessibilidade da companhia de dança, Luis Mauch, a atividade é algo inovador. “Pela primeira vez, uma companhia de dança terá todos os seus espetáculos acessíveis. Isso será possível graças a uma tecnologia inovadora, mas, sobretudo, ao trabalho de intensa colaboração que caracteriza o nosso trabalho”, afirmou.

A elaboração destes roteiros acessíveis para espetáculos de dança requer estudo do profissional que os traduzem para uma linguagem visual. Assim, fichas técnicas, cenários, figurinos, bem como ensaios técnicos são observados e estudados para que o espectador com deficiência visual e auditiva receba a descrição do espetáculo com a maior riqueza de detalhes possível para que o público possa se emocionar em cada apresentação.

Espetáculo – Na ocasião, o público poderá conferir os espetáculos Suite de La Sylphide, de Mario Galizzi (a partir do original de August Bournonville); o Ballet 101, de Eric Gauthier, e a apresentação Gnawa, de NachoDuato. O grupo já se apresentou na Cidade, em março de 2013, com as performances “Dois a Dois” (Grand Pas de Deux de O Quebra-Nozes e Grand Pas de Deux de Dom Quixote), de Marius Petipa e Lev Ivanov; “Gnawa”, de Nacho Duato; e “Mamihlapinatapai”, de Jomar Mesquita, atraindo grande público no Palácio das Artes na oportunidade.

Desta vez, o espetáculo será um conto de fadas para todas as idades. Suite de La Sylphide é um marco do balé romântico, que envolve encontros e desencontros do amor, fadas e feiticeiras, com música de HemanLovenskjold (1815-1870). A coreografia é dividida em dois atos: no primeiro vemos a cena dos preparativos para a festa de casamento de James e Effie, e os encontros e desencontros do amor; no segundo encontramos um mundo imaginário permeado de personagens fantásticos como sílfides – seres alados da floresta – e feiticeiras.

Também serão apresentadas Ballet 101, de Eric Gauthier, um solo de oito minutos que brinca com a dança clássica; e Gnawa, de NachoDuato, uma obra vibrante, que utiliza os quatro elementos fundamentais (água, terra, fogo e ar) para tratar da relação do ser humano com o universo.

Para o secretário de Cultura e Turismo de Praia Grande, Esmeraldo Vicente dos Santos, o Dinho, a apresentação só comprova a importância que a Cidade tem adquirido nos últimos anos junto à comunidade artística do País. “Praia Grande, como um todo, ganhou grande expressão e reconhecimento cultural nos últimos anos e isso é resultado de muito trabalho e dedicação para o fomento da produção artística e da democratização do acesso à cultura na Cidade”.

Outras informações sobre a apresentação podem ser obtidas através do telefone 3496-5715 ou email secturteatro@praiagrande.sp.gov.br.

Oficina de dança – Além das apresentações, a companhia ainda realizará em Praia Grande duas Oficinas de Dança, no dia 26 de julho: uma das 10 horas às 11h30 e outra das 12 horas às 13h30, para moradores da Cidade. O curso acontecerá no Studio de Ballet Aracy de Almeida, localizado na Rua Limeira, 119, Bairro Boqueirão. A oficina será ministrada pela professora do grupo, Ilara Ferreira Lopes, que ensinará aos alunos técnicas de balé clássico utilizadas em uma companhia profissional. Inscrições pelo site: www.saopaulocompanhiadedanca.art.br.

Fonte: http://www.praiagrande.sp.gov.br/pgnoticias/noticias/noticia_01.asp?cod=33742

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.