Projeto de Lei que prevê uso de braile em bancos de Manaus é aprovado
Projeto de Lei que prevê uso de braile em bancos de Manaus é aprovado

Projeto de Lei que prevê uso de braile em bancos de Manaus é aprovado

Vereadores da CMM encaminharam PL para sanção do Executivo.
Texto sugere emissão de documentos em braile e uso de sinalização tátil.

O Projeto de Lei (PL) nº 145/2015, que propõe adequações nos serviços prestados por bancos e agências bancárias na capital do Amazonas, foi aprovado por vereadores e encaminhado à sanção do Executivo Municipal na terça-feira (2). O texto sugere que estabelecimentos sejam obrigados a emitir documentos em braile e a usar sinalização tátil para melhor atender clientes cegos. Membro da Associação dos Deficientes Visuais do Amazonas (Advam) aponta outros aspectos que precisam de melhorias. Já o Sindicato dos Bancários se diz a favor de mudanças.

Se o PL aprovado na Câmara Municipal deManaus (CMM) for sancionado, os bancos deverão dispor de placas que incluem a linguagem em braile e sinalização tátil horizontal por meio de pisos podotáteis, com alto-relevo que auxilia a condução autônoma.

“Os bancos têm que ter equipamentos eletrônicos. Portanto, é importante que exista uma adequação para esse atendimento”, disse vereador que propôs o PL, Professor Samuel, por meio de assessoria.

O 2º vice-presidente do Sindicato dos Bancários do Amazonas, Daniel Batista de Oliveira,  diz que, se aprovada, a lei deverá ser cumprida nos estabelecimentos. “Entendemos que qualquer benefício para pessoas portadoras de deficiência melhora para nossa sociedade”, disse ao G1.

Outros pontos
Deficientes visuais apontam que, além de melhoras estruturais, é preciso investimentos em outros aspectos, entre eles maior número de caixas preferenciais e pessoal especializado dentro dos estabelecimentos.

“A questão principal é o atendimento, o atendimento em si, pessoas capacitadas para lidar com o deficiente. Os bancos devem buscar orientações das associações que lidam com pessoas com deficiência”, disse o presidente do conselho fiscal da Associação dos Deficientes Visuais do Amazonas (Advam),  Milton Moraes.

Daniel Batista concorda com a opinião de Moraes sobre a necessidade de ampliação de pessoal. “Com certeza essa lei vai beneficiar, mas o que queremos é um aumento de postos de trabalho. É essencial a contratação de mais funcionários, nesse caso especializados”, afirma o membro do sindicato.

Para Moraes, ainda é preciso criar alternativas para que pessoas cegas possam receber atendimento sem precisar recorrer aos outros clientes. Além do uso de textos em braile, o integrante da  Advam diz que ele e outras pessoas com problemas de visão enfrentam dificuldades para saber quando a senha usada por eles será chamada para atendimento.

Ele acredita que os painéis visuais de atendimento em todos os bancos deveriam anunciar com uma voz gravada a numeração correspondente à senha e ao guichê, não apenas emitir sons ou mostrar os números e letras.

“As pessoas às vezes criam coisas para nós, mas não nos consultam. Tem uma frase que diz assim: ‘nada para nós, sem nós’. Uma falha muito grande é a questão do painel que só emite aquele barulho. O painel deveria ter uma voz falando”, disse Moraes.

Fonte:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.