Secretaria realiza II Seminário Estadual sobre Violência contra Pessoas com Deficiência

Secretaria realiza II Seminário Estadual sobre Violência contra Pessoas com Deficiência

Durante todo o dia 08 de dezembro, aconteceu na Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo, o II Seminário Estadual sobre Violência contra Pessoa com Deficiência com foco, principalmente, no cuidador.

Com o tema “Cuidando do Cuidador”, o evento discutiu políticas e serviços capazes de amenizar a tensão no relacionamento entre a pessoa com deficiência e o cuidador, além de apresentar números sobre os casos de violência contra pessoas com deficiência no Estado de São Paulo e apresentar as mudanças que a Lei Brasileira de Inclusão – LBI trará no quesito violência.

Estiveram presentes na abertura do evento a Secretária de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo, Dra. Linamara Rizzo Battistella; o coordenador de Desenvolvimento de Programas da mesma Pasta, Luiz Carlos Lopes; a presidente do Conselho Estadual para Assuntos da Pessoa com Deficiência – CEAPcD, Maria Gorete Cortez; e o presidente da União dos Vereadores de São Paulo – UVESP, Sebastião Misiara, entre outros.

A Secretária Dra. Linamara destacou a importância de tratar o tema e abordá-lo também junto as famílias das pessoas com deficiência. “Nós temos que entender que é preciso tratar a família e mudar a forma de se relacionar. A violência que começa dentro de casa, termina por chegar às ruas e instituições levando a reflexão sobre a sociedade”, ressaltou.

“Quando falamos sobre o enfrentamento da violência contra a pessoa com deficiência, nós criamos uma janela de oportunidades para a sociedade, combatendo a violência que é a única maneira para construir um bom espaço para todos”, continuou a Secretária.

Durante todo o ano foram realizados Encontros Regionais sobre enfrentamento à violência dentro da programação da Caravana da Inclusão, Acessibilidade e Cidadania, que percorre os municípios do interior paulista. O Seminário encerra o ciclo de encontros. Segundo Dra. Linamara, o encerramento dessas discussões tem grande importância. “É o encerramento de um ciclo de muito sucesso envolvendo todo o nosso interior do Estado, envolvendo todas as Secretarias que compõem o Programa Estadual de Enfrentamento à Violência e as organizações parceiras”.

NÚMEROS DA VIOLÊNCIA
Luiz Carlos Lopes, junto com Marco Aurélio Teixeira de Queiroz, Consultor em Psicologia da APAE/São Paulo, apresentaram informações gerais sobre o Programa e os números da violência no Estado de São Paulo.

Segundo Lopes, o Programa é baseado em três eixos, o de notificação e coleta de dados existentes; capacitação dos profissionais e da rede de serviço; e prevenção da violência contra pessoas com deficiência.

Um dos dados apresentados por Luiz Carlos Lopes foi o de que entre maio de 2014 e outubro de 2015, segundo dados da Secretaria de Segurança Pública de São Paulo, foram registrados, em todo o Estado de São Paulo, 24.227 ocorrências envolvendo 24.558 vítimas com deficiência.

Os municípios com mais ocorrências registradas foram: São Paulo, com 6.433; Ribeirão Preto, com 542; Campinas, com 470; Guarulhos, com 438; São Bernardo do Campo, com 392; Santo André, com 382; Osasco, com 378; Santos, com 346; Sorocaba, com 307; e Bauru, com 291, entre outros.

Desses dados também foi extraída a informação de que 47% das pessoas que fizeram Registro Digital de Ocorrência tem deficiência física, enquanto 20,99% tem deficiência intelectual, 13,05% visual, 12,07% auditiva e 6,25% deficiência múltipla.

Dentre os Boletins de Ocorrência de natureza criminal, os que mais se destacam são: ameaça, com 3.770 casos; furto, com 3.197; lesão corporal, com 2.691; roubo, com 2.412; e injúria, com 2.140 casos.

Os crimes contra a pessoa, são os casos que mais se destacam, seguidos dos crimes contra o patrimônio, 34,99% e 29,21%, respectivamente.

A Delegacia de Polícia da Pessoa com Deficiência, um dos resultados do Programa, recebeu de junho de 2014 a outubro de 2015, 1.038 pessoas; foram elaborados 452 Boletins de Ocorrência e 112 inquéritos.

Diferente do número dos Boletins de Ocorrência habituais, a Delegacia especializada atendeu mais de 60% de pessoas com deficiência auditiva. O local conta com intérprete de Libras durante todo o seu funcionamento. Dessa forma, fica mais fácil para a pessoa com deficiência auditiva se comunicar.

Marco Aurélio Teixeira de Queiroz destacou os encontros regionais que aconteceram com a Caravana da Inclusão, Acessibilidade e Cidadania. Neste ano foram realizados 26 encontros regionais e um encontro estadual, com mais de 5 mil participantes, com representantes de 423 municípios.

O desafio nacional e local sobre o enfrentamento da violência contra a pessoa com deficiência foi discutido na conferência “Violência contra pessoas com deficiência e cuidados com o cuidador: desafio nacional e local”, mediada por Marco Aurélio Teixeira de Queiroz, que como participante teve a Drª Lúcia Cavalcante de Albuquerque Williams (UFSCAR/LAPREV – Laboratório de Análise e Prevenção de Violência). O painel contou também com a Dra. Izabel Maria de Loureiro Maior, da UFRJ e discorreu sobre as Ações de Prevenção e Enfrentamento à Violência contra Pessoas com Deficiência no Brasil.

No período da tarde foi a vez de discutir sobre “Vulnerabilidade: deficiência e cuidados com o cuidador”, mesa mediada por Luiz Carlos Lopes. O tema “Demandas e necessidades do cuidador” foi explanado por Fabiano Puhlmann Di Girolamo, Psicólogo especialista em Psicologia Hospitalar da Reabilitação. Também foram tratados temas como “Opções na rede SUAS”, por Elaine Moura, socióloga da Secretaria de Desenvolvimento Social; e a “LBI: perspectivas de mudanças”, apresentado por Juliana Armede, Assessora Parlamentar da Deputada Federal Mara Gabrilli.

A última mesa tratou de “A importância do trabalho em Rede: propostas de enfrentamento à violência”, mediada por Alexsandro do Nascimento Santos, Assessor Técnico da Câmara Municipal de São Paulo, e contou com a presença de Ester Rosenberg Tarandach, Assessora de Gabinete da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Social; Lígia Maria Carvalho de Azevedo Soares, Coordenadora da Área Técnica Saúde da Pessoa com Deficiência e Vice-Presidente do Conselho Estadual para Assuntos da Pessoa com Deficiência/SP; além de Cid Torquato, Secretário Adjunto de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo.

Acompanhe o Programa Estadual de Prevenção e Combate à Violência contra Pessoas com Deficiência: http://violenciaedeficiencia.sedpcd.sp.gov.br/

Fonte: http://www.pessoacomdeficiencia.sp.gov.br/ultimas-noticias/secretaria-realiza-ii-seminario-estadual-sobre-violencia-contra-pessoas-com-deficiencia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *