SPCD retorna à Praia Grande para uma nova temporada de espetáculos e atividade educativa

SPCD retorna à Praia Grande para uma nova temporada de espetáculos e atividade educativa

Apresentação contará com recurso de audiodescrição, libras e legendagem

Bailarino

A São Paulo Companhia de Dança – mantida pela Secretaria de Cultura e o Governo do Estado de São Paulo, sob direção de Inês Bogéa – retorna ao município de Praia Grande, litoral de São Paulo, para uma nova Temporada de Espetáculos. A SPCD se apresenta nos dias 25 e 26 de julho, às 20h, sexta-feira e sábado, respectivamente, no Teatro Palácio das Artes – Sala Serafim Gonzalez (Av. Pres. Costa e Silva, 1600). Os ingressos são gratuitos e serão distribuídos uma hora antes dos espetáculos. Além dessas apresentações, a Companhia realiza uma Oficina de Dança.

Na ocasião, o público poderá conferir a Suite do 2° ato de La Sylphide, de Mario Galizzi a partir do original de August Bournonville. A obra é um conto de fadas para todas as idades, marco do balé romântico, que envolve encontros e desencontros do amor, fadas e feiticeiras, com música de Heman Lovenskjold (1815-1870). O segundo ato desta coreografia revela um mundo imaginário permeado de personagens fantásticos como sílfides – seres alados da floresta – e feiticeiras.

 “Estamos muitos felizes em voltarmos a Praia Grande, uma cidade que valoriza a arte da dança. Será um grande prazer para a SPCD subir novamente ao palco do Teatro Palácio das Artes”, fala Inês Bogéa, diretora artística da São Paulo Companhia de Dança

Também serão apresentadas Ballet 101, de Eric Gauthier, um solo de oito minutos que brinca com a dança clássica; e Gnawa, de Nacho Duato, uma obra vibrante, que utiliza os quatro elementos fundamentais: água, terra, fogo e ar para tratar da relação do ser humano com o universo.

EDUCATIVO

No dia 26 (sábado) acontece a Oficina de Dança Técnica de Balé Clássico, das 10h às 11h30, na Studio de Ballet Aracy de Almeida (Rua Limeira, 119 – Boqueirão). A oficina será ministrada pela professora ensaiadora da SPCD, Ilara Lopes, que ensinará aos alunos técnicas de balé clássico utilizadas em uma companhia profissional. A atividade é gratuita. As inscrições estão disponíveis no site da SPCD (também gratuitas) e informações podem ser obtidas pelo e-mail educativo@spcd.com.br.

Acessibilidade

Desde 2013, a São Paulo Companhia de Dança utiliza o recurso de audiodescrição – modo que transmite ao público cego, por meio de fones de ouvido, informações sobre cenário, figurino e, principalmente, os movimentos dos bailarinos – em suas apresentações por espaços públicos do interior e da capital de São Paulo.

Neste ano, com o objetivo de viabilizar a implantação de mais recursos de acessibilidade comunicacional, a SPCD, promove e amplia o programa. A tecnologia avançada do aplicativo Whatscine transmite para smartphones e tablets os recursos de audiodescrição, interpretação em LIBRAS e subtitulação, permitindo às pessoas com deficiência entrar em contato com a experiência da dança.

“A SPCD vai disponibilizar um serviço inédito. Pela primeira vez uma companhia de dança terá todos os seus espetáculos acessíveis. Isso será possível graças à tecnologia inovadora do Whatscine, mas, sobretudo, ao trabalho de intensa colaboração que caracteriza o nosso trabalho” afirma Luis Mauch, coordenador geral da Mais Diferenças, que realizará os trabalhos com a SPCD.

A elaboração destes roteiros acessíveis para espetáculos de dança requer profundo estudo do profissional que os traduzem para uma linguagem visual. Assim, fichas técnicas, cenários, figurinos, bem como ensaios técnicos são observados e estudados para que o espectador com deficiência visual e auditivo receba a descrição do espetáculo com a maior riqueza de detalhes possível para que o público possa se emocionar em cada apresentação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.