Teste do olhinho auxilia na prevenção de cegueira infantil
Teste do olhinho auxilia na prevenção de cegueira infantil

Teste do olhinho auxilia na prevenção de cegueira infantil

De acordo com o levantamento divulgado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), quatro em cada dez casos de cegueira infantil são reversíveis ou evitáveis, por meio do diagnóstico precoce e do tratamento adequado.

Nesse sentido, o teste do olhinho é um grande aliado e deve ser realizado em todos os recém-nascidos, normalmente no primeiro dia de vida, ou antes do bebê deixar a maternidade.

“O resultado do teste é muito semelhante ao observado nas fotografias. Quando tiramos uma foto, a imagem aparece com os olhos vermelhos e, caso seja possível identifi car um reflexo branco, significa que existe um problema ocular a ser investigado. É importante destacar que, para que esse reflexo seja visto, é necessário que o eixo óptico esteja livre, ou seja, sem nenhum obstáculo à entrada e à saída de luz pela pupila”, esclarece o Dr. Mauricio Magalhães, professor da disciplina de Pediatria da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.

O teste do olhinho é considerado um exame simples, rápido e indolor, realizado por um pediatra. “As irregularidades oculares que podem ser detectadas durante o exame são especialmente: catarata congênita, má formação ocular, opacidades na córnea, tumores intraoculares ou hemorragias vítreas. Em caso de alguma alteração, o tratamento deve ser iniciado o quanto antes”, afirma o Dr. Magalhães.

O teste do olhinho, assim como o do pezinho e o da orelhinha, é obrigatório em todas as maternidades do Brasil. Contudo, a falta de conhecimento faz com que muitos pais ainda não exijam a realização do exame durante os primeiros dias de vida do bebê. Segundo a OMS, cerca de 500 mil crianças ficam cegas todos os anos e a maioria perde a visão no primeiro ano de vida. No Brasil, de acordo com a entidade, há cerca de 33 mil crianças cegas em consequência de doenças oculares que poderiam ser evitadas ou tratadas precocemente se o exame tivesse sido realizado em tempo hábil.

Casos especiais

No caso de bebês prematuros, o exame também consegue diagnosticar a retinoplatia, uma enfermidade vasoproliferativa secundária à vascularização inadequada da retina imatura dos recém-nascidos. “Devido à prematuridade da crian ça, a retina ainda não está totalmente formada, pois ela será construída ao longo das primeiras semanas de vida. Assim, o fato da retina se desenvolver fora do útero pode ocasionar alguma anomalia que, caso seja diagnosticada rapidamente, deve ser tratada com laser para que não haja o deslocamento da retina e, consequentemente, a cegueira. Por isso, também é importante que o profissional de oftalmologia acompanhe o bebê desde o seu nascimento”, orienta o Dr. Magalhães.

Sobre a Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo: Tradicional Instituição de ensino em Medicina, com 50 anos de atividades, oferece também a graduação em Enfermagem e em Fonoaudiologia, graduação tecnológica em Radiologia e em Sistemas Biomédicos, além de diversos cursos de Pós-Graduação (especialização lato sensu, Mestrado e Doutorado) e Pós-Doutorado. Em sua infraestrutura, apresenta importantes laboratórios como o de Anatomia, Imunologia, Microbiologia, Farmacologia, Bioquímica, Técnica Cirúrgica, Fisiologia, Biologia Molecular, Cirurgia Experimental, Centro de Simuladores, além de ambulatórios, enfermarias e Centros Cirúrgicos do Hospital Central da Santa Casa de São Paulo, conveniado com a Faculdade. Visite o site: www.fcmsantacasasp.edu.br.

Fonte: http://www.segs.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=7539:teste-do-olhinho-auxilia-na-prevencao-de-cegueira-infantil&catid=104&Itemid=534

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *