“Transformei o pouco que tinha em medalhas”, diz brasileira considerada a cega mais rápida do mundo
“Transformei o pouco que tinha em medalhas”, diz brasileira considerada a cega mais rápida do mundo

“Transformei o pouco que tinha em medalhas”, diz brasileira considerada a cega mais rápida do mundo

Promessa de medalha na Paralimpíada do Rio, Terezinha Guilhermina não cogita desacelerar. Pronta para quebrar mais recordes, ela conta à Marie Claire todos os detalhes de sua trajetória de sucesso, que tem origem humilde e várias superações. “Me disseram que eu estava sonhando um sonho grande demais para alguém que não tinha nada nas mãos.”

A cega mais rápida do mundo é brasileira e só pensa em acelerar. Natural de Betim, em Minas Gerais, Terezinha Guilhermina, de 37 anos, nasceu com retinose pigmentar, um tipo de deficiência que lhe causou perda de visão superior a 95%. Mas o que poderia ter sido um obstáculo à menina de origem humilde – nascida em uma família de 12 irmãos, com pai faxineiro e mãe empregada doméstica -, serviu foi de incentivo para que ela alcançasse marcas surpreendentes dentro do esporte paralímpico.

O atletismo entrou na sua vida há 16 anos, quando precisou pegar um tênis emprestado de uma das irmãs para dar início aos treinamentos. Antes mesmo de dar o primeiro passo na pista, ela já tinha uma certeza: “Sempre disse que seria a melhor do mundo para conseguir mudar a minha história”, disse em entrevista àMarie Claire.

Em 2000, quando venceu sua primeira corrida de rua, seu destino de sucesso já começava a ser traçado. Recordista dos 100 metros, nas Paralimpíadas de Londres, em 2012, ela promete conquistar marcas ainda mais surpreendentes dentro de casa. “E que todas elas sejam douradas”, comentou fazendo referência às medalhas que pretende colocar sobre o peito ao som do hino nacional.

A seguir, Terezinha fala sobre os obstáculos superados para chegar ao topo, dá lição de autoestima e ainda conta como se prepara para as próximas provas e vitórias!

Fonte: http://revistamarieclaire.globo.com/Mulheres-do-Mundo/noticia/2016/06/transformei-o-pouco-que-tinha-em-medalhas-diz-brasileira-considerada-cega-mais-rapida-do-mundo.html

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *