UESPI faz experiência com cinema para cegos
UESPI faz experiência com cinema para cegos

UESPI faz experiência com cinema para cegos

O evento foi aberto para o público em geral

Como os cegos enxergam o mundo? Com o intuito de responder essa pergunta, a Pró-Reitoria de Extensão, Assuntos Estudantis e Comunitários – PREX da Universidade Estadual do Piauí (UESPI) promoveu, na noite da última terça-feira (12), uma sessão de cinema diferente na Sala Torquato Neto, no Clube dos Diários, no centro de Teresina. Todos deveriam estar com os olhos vendados. A plateia, acompanhando a exibição apenas com auxílio da audiodescrição (narração descrevendo as cenas) pôde perceber um pouco de como é ter essa experiência.

A sessão “Um olhar para além da imagem” foi aberta ao público, que participou gratuitamente. Primeiro a plateia assistia ao vídeo com os olhos vendados; em seguida retirava a venda e assistia novamente ao vídeo, agora sem a venda. Maria Fernanda, 9 anos, e Gregório Pedreira, 12, aprovaram a experiência. “Foi difícil ter que imaginar as cenas com a venda”, disse Maria Fernanda. “Quando eu tirei a venda e assisti de novo foi muito diferente do que eu estava imaginando. Acho que eles [os deficientes visuais] devem ter dificuldade porque a gente pode tirar a venda, eles não”, disse Gregório, pensativo.

A dupla veio acompanhada da consultora de vendas Kelle Pedreira, que se sentiu sensibilizada e afirmou que a exibição a fez refletir sobre as ações que ela faz diariamente, mas que não dá valor aos mínimos detalhes. “Essa exibição me forçou a usar mais a imaginação. Ela ajuda a despertar os sentidos que você nem percebe no dia a dia. Foi isso que eu achei interessante”, afirmou.

No total, dez municípios já receberam ações do projeto de extensão “Tecnologias Assistivas – um caminho para a inclusão”. “Nas oficinas, a gente ensina como fazer livros sensoriais, maquetes e escrever em braile em cartolinas. A gente utiliza basicamente materiais simples como tijolo, areia, algodão, isopor, caixa de fósforo, EVA, qualquer material para que eles possam sentir as texturas”, explicou Brenna Lee, uma das 6 monitoras do projeto e aluna do sexto bloco de Pedagogia na UESPI.

Para Rogéria Pereira, coordenadora do projeto e primeira cega a concluir mestrado no Piauí, as oficinas são uma forma de discutir as ações inclusivas que auxiliam no aprendizado de alunos cegos na sala de aula. “A universidade é um dos lugares que deve protagonizar essa inclusão, é o ambiente primordial para estudar, pesquisar e fazer isso que estamos fazendo, no sentido de atuar para uma sociedade mais inclusiva”, disse Rogéria. Ela ainda destaca que “o nosso carro chefe é trabalhar com a audiodescrição. Por isso que realizamos essa sessão hoje”, finalizou.

A iniciativa é da UESPI, através da Pró-reitoria de Extensão, Assuntos Estudantis e Comunitários (PREX) com o apoio do Plano Nacional de Formação de Professores (PARFOR). “Essa sessão extrapola os muros da universidade. É mais uma missão da UESPI sendo cumprida que é sensibilizar a população teresinense sobre o respeito às pessoas com algum tipo de deficiência”, disse Prof. Dr. Raimundo Dutra, pró-reitor da PREX.

Fonte: http://www.capitalteresina.com.br/noticias/cultura/uespi-faz-experiencia-com-cinema-para-cegos-43145.html

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.