Caso Maranhão: 7º Dia
Caso Maranhão: 7º Dia

Caso Maranhão: 7º Dia

O sétimo dia de tratamento de João Miguel no Lar das Moças Cegas envolve a oftalmologista Bruna Bois, que confirmou o diagnóstico de toxoplasmose congênita e cicatrizes maculares.
A médica alerta que a toxoplasmose congênita é transmitida quando uma mulher é infectada pela doença durante a gestação, passando para o feto através da placenta.
Algumas mulheres podem contrair o parasita durante a vida e desenvolver resistência. No entanto, em situações de queda da imunidade, como na gravidez, o parasita pode ser reativado e atingir o feto. Há também chances de adquirir a doença durante a gestação. Com a imunidade baixa, o bebê é afetado.
Segundo Bruna, lavar e cozinhar os alimentos, além de redobrar os cuidados com as fezes do gato, são as recomendações para não se contaminar com a toxoplasmose. O pré-natal também deve ser bem acompanhado pelo obstetra, que fornecerá todos os exames e recomendações para uma gravidez segura e o nascimento de um bebê saudável.
Continue nos seguindo para acompanhar as atualizações sobre o caso de João Miguel, que veio do Maranhão para ser atendido pela equipe multidisciplinar do LMC.
Descrição da imagem: Na imagem, a profissional Bruna Bois, está sentada no consultório de oftalmologia do Lar das Moças Cegas. Ela usa vestido rosa e jaleco branco com o logotipo do LMC.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *